O vereador Sildomar Abtibol pode “ser ou não ser” secretário dos Esportes

Vereador Sildomar Abtibol, sem resposta do executivo.

Vereador Sildomar Abtibol, sem resposta do executivo.
Vereador Sildomar Abtibol, sem resposta do executivo.

Pelo visto, a ida do vereador Sildomar Abtibol (Pros) para a direção da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer (Semjel) ficou na carta de intenções. O prefeito não se posiciona, o secretário de Governo municipal, Márcio Noronha, também não respondeu ao nossa pergunta feita por Whatsapp e, o tempo vai passando, sem que a secretaria chegue às mãos do vereador.
Cansado de esperar, Sildomar prometeu viajar nos próximos dias. O destino ainda não foi divulgado, mas certamente é uma forma de dizer que não está contente com o silêncio imposto a ele e nem com o tratamento vindo do chefe do executivo manauara.
No período que precedeu as eleições para a presidência da Câmara Municipal de Manaus (CMM), Sildomar confidenciou a amigos, que estaria fazendo uma imposição ao prefeito. Se ele não fosse indicado presidente da CMM, que lhe fosse dado uma secretaria. Houve uma confirmação, desde que ele apoiasse Wilker Barreto (PHS), atual presidente da Casa.
Assessores de Sildomar, entretanto, afirmaram “que o vereador nunca fez imposição alguma”, mas confirmaram que ele está sem resposta do executivo, há semanas. “Ele mesmo não sabe o que está acontecendo”, complementaram. No início do ano, teve uma reunião na prefeitura para definir a reforma, a extinção de secretarias, a fusão de outras e a escolha de novos secretários municipais. Sildomar chegou a ser anunciado secretário dos Esportes, mas tinha um empecilho pela frente: quem deveria ocupar a seu gabinete na CMM?
Foi aí que começaram as dificuldades!… O primeiro suplente, Luis Alberto Carijó (PDT), deveria ir para a secretaria de Administração, porque no acordo feito com a Assembléia de Deus, Arthur Neto teria o apoio e a benção da igreja com vistas às eleições de 2016. Para isso, quem ganharia a vaga na CMM era o jovem e inexperiente e segundo suplente, Joelson Silva (PHS) e afilhado do deputado federal Silas Câmara (PSD).
Tudo arranjado, não fosse o Carijó achar que a Secretaria de Administração não se enquadrava ao seu perfil de empreendedor. Ou seja, a secretaria não tem verbas e nem poder de fogo para ele manter a sua base política e nem o trânsito livre para ele implementar a tão propalada reforma administrativa. “Caiu água no leite do Sildomar”.

 

Enquanto isso, o prefeito continua fazendo campanha eleitoral “antecipada”, nos meios de comunicação, inclusive, desafiando os seus desafetos a enfrentá-lo nas urnas, daqui a um ano e meio. Há quem diga que ele ainda não desceu do palanque.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui