Organização criminosa é presa durante Operação ‘Nero’

organização criminosa envolvida em homicídios e tráfico de drogas/Divulgação: SSP-AM

Manaus – Uma organização criminosa envolvida em homicídios e tráfico de drogas foi presa durante a Operação “Nero”, deflagrada na manhã desta quinta-feira (09/05), pela Polícia Civil do Amazonas, por meio da Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (DEHS).

Os mandados de prisão, busca e apreensão foram cumpridos no bairro Jorge Teixeira, na zona leste, na Cidade de Deus, zona norte, e no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, no km 8 da BR-174. A operação contou com apoio da Polícia Militar, por meio das Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam) e do Cipcães.

Mais de 150 policiais foram empregados na ação, que também contou com a participação de um agente da Receita Federal e o cão farejador Odin.

Foram efetuadas cinco prisões. As investigações da operação se concentraram em três homicídios registrados em Manaus, em setembro do ano passado.

Presos – Na manhã de hoje, foram presos em cumprimento a mandado de prisão Fernando Félix da Silva, o principal alvo, apontado como líder do bando e de uma invasão conhecida como Coliseu, localizada no Jorge Teixeira. Outro preso em cumprimento a mandado judicial foi Lucas Rodrigues Belém, vulgo “Cachacinha”, que já estava preso no Compaj desde dezembro do ano passado pelo crime de roubo. Lucas é apontado como o pistoleiro do bando.

Durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão, a polícia prendeu em flagrante Jefferson Ferreira Silva, 31, Paula Rogéria Nascimento de Lima, 33, Marcelo Souza de Souza, 23.

Armas e materiais apreendidos – Foram apreendidas duas espingardas calibre 12, dois coletes balísticos, dois simulacros de arma de fogo, 15 munições, quatro rádios HTs, uma prensa mecânica e diversos relógios e outros objetos que a polícia suspeita serem fruto de troca de usuários de entorpecentes.

De acordo com o secretário de Segurança, coronel Louismar Bonates, a operação “Nero” teve resultado excelente com a prisão de envolvidos em homicídios que vai influenciar na redução de assassinatos por acerto de contas.

“Mais uma operação de êxito, para trazer tranquilidade da população, com resultado excelente, e essas operações continuarão se desenrolando em outras zonas da capital, demonstrando o controle da segurança pública contra a criminalidade. Então, os cidadãos podem ficar tranquilos que estamos trabalhando”, afirmou.

Denúncias ajudam – O delegado-geral da Polícia Civil, Lázaro Ramos, afirmou que as denuncias da população auxiliam nas investigações da delegacia especializada e resultam na identificação e prisão dos homicidas e traficantes.

Segundo o delegado Charles Araújo, adjunto da DEHS, Fernando era um líder do tráfico de drogas das invasões e comunidades da zona Leste. Ele já vinha sendo investigado há alguns meses, pois ordenava mortes e atuava como um “imperador do crime” nas comunidades.

“Era um alvo nosso muito perigoso, então fizemos o levantamento e solicitamos os mandados de prisão. Ele é mandante de três assassinatos que deram inicio às investigações contra o Fernando e, além dos mandados, ele foi preso em flagrante por porte ilegal de armas”, informou.

O delegado ressaltou que a invasão em que Fernando residia era monitorada pelos “soldados” do tráfico que acreditavam que a polícia não iria entrar no local.

“A gente consegue, com essa operação, retirar um cidadão perigoso daquela área, dando à população o total sentimento de Justiça e, principalmente, mostrando que a Polícia Civil e Militar estão sempre atentos e buscando trazer a máxima sensação de segurança possível”, afirmou Charles.

Duplo homicídio – Segundo as investigações, Fernando Félix é o chefe do tráfico de drogas na comunidade Coliseu, também conhecida como João Paulo. Ele encomendou dois homicídios na capital, onde três pessoas foram vítimas em setembro de 2018, no Jorge Teixeira.

Fernando mandou matar Sebastião Silva de Souza e Deliel Souza Figueiredo, na rua Alfazema, em decorrência de uma disputa pelo tráfico na área. Os dois se recusaram a deixar o local, que era de interesse de Fernando e, por isso, foram mortos.

Foto: Divulgação

Conforme a Polícia Civil, o duplo homicídio foi executado por Lucas Rodrigues, antes de ser preso em dezembro do ano passado. Ele chegou a filmar o crime. As imagens foram encontradas no celular de Fernando Félix, onde as polícias também identificaram outras imagens que serão periciadas e incluídas no inquérito.

O segundo homicídio encomendado foi o de Railson Ferreira da Silva, ocorrido dia 1 de setembro de 2018, também na rua Alfazema. De acordo com testemunhas, Railson foi morto a pauladas, após se recusar a informar a localização de uma arma de fogo que pertencia a um traficante da área.

Fernando já tinha outras quatro passagens pela polícia pelos crimes de roubo e tráfico de drogas. Jefferson e Paula foram presos em flagrante dentro da casa deles, rua Abacaba, bairro Jorge Teixeira, com uma porção de maconha escondida dentro de um brinquedo, além de R$ 1,3 mil. A droga foi encontrada pela cadela Jade, do Cipcães.

Marcelo foi preso em flagrante na invasão, com porções de entorpecentes. Com todos os envolvidos, os policiais apreenderam cerca de dois quilos de drogas.

O bando será indiciado pelos crimes de homicídio, tráfico de drogas e organização criminosa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui