Pais são contra decisão de tornar o Colégio Tiradentes uma escola Militar

Foto: Divulgação

Professores, pedagogos e pais de alunos realizam um ato em frente à sede do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), na manhã desta segunda-feira (26).

O ato comandado pelo Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (AspromSindical) é contra a decisão da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade de Ensino (Seduc) em militarizar a Escola Estadual Tiradentes, no bairro de Petrópolis.

De acordo com o professor Lambert Melo, da Asprom/Sindical, a comunidade de Petrópolis é terminantemente contra tornar o Colégio Tiradentes uma escola militarizada.

A questão maior, questiona a Asprom e os pais de alunos, não é a qualidade de ensino que é muito boa nas escolas militares. A questão é que a Seduc decidiu transferir todos os alunos que moram em Petrópolis para escolas distantes e isso a comunidade não aceita.

Por isso, a Comissão de Professores da Escola Estadual Tiradentes junto com a Asprom/Sindical realiza ato em frente a sede do Ministério Público Estadual-MPE, em buscar a intervenção deste órgão fiscalizador na resolução do problema causado pela Seduc/Am naquela unidade educacional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui