Pescadores desconhecem a ‘sereia do igarapé’ e como ela recebe R$ 3.800 do seguro defeso

Blogueira Maiara Tavares, também conhecida como sereia do igarapé, depois de receber o seguro defeso dos pescadores - foto: instagram

Conforme publicado pelo Correio da Amazônia, a “sereia do igarapé”, Maiara Tavares, recebe bolsa que varia de R$ 2.300 a R$ 3.800. O valor é recurso do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

A questão é que o nome da tal “sereia” não consta nos registros da Colônia de Pescadores do Careiro Castanho. “Não temos o conhecimento desta pessoa como trabalhadora na Colônia de Pescadores. Mas gostaríamos de saber quem a registrou, pois está ganhando dinheiro às nossas custas e sem esforço”, afirmou o presidente do Sindicato dos Pescadores, David Uchôa.

Sereia na Praia da Pipa – foto: instagram

Uchôa acha difícil que alguém tenha conseguido receber o seguro defeso, sem passar pela aprovação e registro da Colônia e, que vai fiscalizar o ocorrido, depois das denúncias feitas na mídia, mostrando a blogueira travestida de pescadora para ganhar o seguro. Resta saber, quantos desses “pescadores” existem espalhados pelas colônias no Amazonas.

Ele também não acredita que tenha ‘dedo de político’ recrutando gente para receber verba federal. “Pelo menos, na minha gestão não tenho conhecimento disso”, acentuou.

Na Federação de Pescadores, o nome de Maiara Tavares também é desconhecido. “Há algumas pessoas se passando por outras, mas esse nome nós não temos conhecimento na federação”, disse o presidente do órgão, conhecido como Negão.

Extratos retirados do portal da transparência do Ministério da Agricultura desde 2013 comprovam que Maiara Tavares vem sendo beneficiada, supostamente, criminosamente, com verbas federais, destinadas aos pescadores do Estado. Veja abaixo:

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui