PF prende auditor da Receita acusado de fraudar Casa da Moeda


A Polícia Federal prendeu preventivamente na manhã desta sexta-feira (3) o auditor-fiscal da Receita Marcelo Fisch Menezes e sua mulher Mariangela, ambos acusados de fazer parte de uma quadrilha envolvida em fraudes de licitações, desvio de recursos públicos, corrupção e lavagem de dinheiro no Rio de Janeiro.

Fisch, que em 2008 ocupava a cadeira de coordenador-feral de Fiscalização, foi nomeado chefe de Divisão de Controles Fiscais Especiais em 2015. De acordo com a investigação, ele foi um dos responsáveis pela contratação, sem licitação, da Sicpa Indústria de Tintas e Sistemas.

A empresa de Mariangela, a MDI Consultoria, recebeu entre 2009 e 2015 cerca de R$ 15 milhões por uma suposta consultoria. A PF identificou, porém, que o montante foi pago por uma empresa sediadas nos Estados Unidos ligada à Sicpa.

Batizada de Esfinge, a operação da PF, em conjunto com o Ministério Público e o Ministério da Fazenda, investiga fraudes em contratos que movimentaram mais de R$ 6 bilhões, incluindo uma licitação na Casa da Moeda. Segundo a PF, estima-se que, em propinas, o grupo movimentou cerca de R$ 70 milhões.

Além das prisões, os agentes cumprem cinco mandados de busca e apreensão em escritórios e residências em São Paulo e Brasília.

Um dos alvos é uma consultoria que teria recebido R$ 70 milhões de uma empresa investigada por fraude em licitação na Casa da Moeda.

O escritório teria recebido os valores sem prestar os serviços contratados. Teria ainda servido de fachada para intermediar o pagamento de propina do esquema, segundo a PF.A licitação da Casa da Moeda investigada envolve a contratação do chamado Sicobe (Sistema de Controle da Produção de Bebida), que previa a instalação de equipamentos contadores de produção nas linhas de produção de bebidas (cervejas, refrigerantes, sucos).

Esse sistema é instalado pela Casa da Moeda nas fábricas de bebidas e realiza o controle, registro, gravação e transmissão da quantidade produzida. A informação é remetida para Receita Federal para fins de tributação.

O faturamento desse contrato, nos últimos seis anos, ultrapassou a cifra de R$ 6 bilhões, segundo a PF.

A operação é um desdobramento da Operação Vícios da PF, que investigou no ano passado um esquema de fraude em contratação de empresa envolvendo a Receita Federal e a Casa da Moeda.

Os mandados foram expedidos pela 8ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

(NOTICIAS AO MINUTO)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui