PM realizou mais de 25 mil abordagens em ônibus do transporte coletivo


Polícia Militar do Amazonas (PMAM) aumentou em 70% o número de abordagens aos ônibus do transporte coletivo em Manaus, no primeiro semestre deste ano. No período, foram 25,9 mil fiscalizações aos veículos que servem à mobilidade da população manauara. Os dados se referem à operação “Catraca” e englobam o trabalho de todas as Companhias Interativas Comunitárias (Cicoms) da capital amazonense.

No primeiro semestre deste ano, os casos de roubos a ônibus registraram redução de 13% na comparação com igual período do ano passado. As abordagens policiais aos coletivos são definidas a partir do mapeamento dos registros de Boletim de Ocorrência (BO). Além de inibir as ocorrências, esse trabalho também resulta na prisão de autores, muitas vezes em flagrante.

Foto: Tarcísio Haden/SSP-AM e Divulgação/PMAM

De acordo com a PM, só no último mês, a fiscalização aos coletivos resultou em 30 prisões em flagrante e a apreensão de nove armas brancas usadas em crimes. Ao todo, 126 mil pessoas foram abordadas pelos policiais e 358 porções de entorpecentes foram apreendidas.

De acordo com o coronel Cledemir Araújo, o número de abordagens é resultado de um trabalho diuturno que visa à redução da criminalidade e a efetiva segurança da população. “Nós adentramos nos coletivos para fazer a abordagem e também procuramos conversar com os motoristas, cobradores e passageiros para saber se há suspeitos nos veículos”, ressaltou.

Foto: Tarcísio Haden/SSP-AM e Divulgação/PMAM

Para garantir a segurança dos usuários do transporte alternativo, popularmente conhecido como “Amarelinho”, a Polícia Militar mantém uma parceria com o Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU).

“Com a participação do IMMU, procuramos identificar os veículos problemáticos que andam nas avenidas da zona leste, que é uma zona de grande circulação de pessoas. Os indivíduos usam as ruas para praticar corrida, não respeitando os pedestres”, enfatizou o coronel da Polícia Militar.

Foto: Tarcísio Haden/SSP-AM e Divulgação/PMAM

Com o aumento das abordagens, os infratores têm adotado algumas estratégias para não serem pegos em flagrante. O material subtraído de passageiros vem sendo mantido sob a guarda de mulheres e até crianças, usadas para tentar dissimular que o criminoso é apenas mais um passageiro.

“Os infratores passam o material ilícito para mulheres e até para crianças porque acham que a PM não vai revistar”, salientou.

Prisões e apreensões – Entre as últimas prisões efetuadas durante a operação Catraca está a de um trio em posse de armas de fogo caseiras e facas, no bairro Colônia Oliveira Machado, zona sul. Os policiais militares da 2ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) efetuaram as prisões na manhã do dia 20 de julho.

Foto: Tarcísio Haden/SSP-AM e Divulgação/PMAM

A ação ocorreu durante abordagem a um ônibus da linha 680, na avenida Felismino Soares. Em revista nas mochilas dos três indivíduos, foram encontradas três facas tipo peixeira, duas armas caseiras, uma arma de fogo calibre 38 e uma escopeta calibre 32, além de munições, roupas e bonés. Os três homens receberam voz de prisão e foram encaminhados ao 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Denúncias – Para prestar informações sobre quadrilhas ou suspeitos de roubos a coletivos, a população pode ligar para o 181, o disque-denúncia da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM). Em casos emergenciais, é imprescindível fazer a ligação para o 190. Outra orientação é o registro do Boletim de Ocorrência, pois ele subsidia a realização de operações pelas forças policiais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui