Por que a preocupação? Se faltar carne tem Jaraqui, aqui no Amazonas

O Jaraqui, lembrado nos poste do internauta Eder Marques - Foto: recorte

A aproximadamente uma semana e meia que governo, pecuaristas, políticos, exportadores tem falado sobre o aumento do preço da arroba do boi gordo e o que isso pode influenciar no prato do cidadão, que anda preocupado com o alto preço do quilo da carne nos açougues e o que é pior, a falta do produto previsto para até o final desse mês de dezembro.

Estamos falando do cidadão sulista, nordestino e do centro oeste brasileiro. No Norte, mais especificamente no Amazonas, se faltar carne de boi, tem peixe de sobra, nas feiras e mercados. Tem o Jaraqui, o peixe mais popular e barato da região.

É o que diz o internauta Eder Marques, que fez um post na sua página do Fecebook, em tom de brincadeira, mas que se levado a sério pode servir de incentivo para os vários gerenciadores de projetos de pisciculturas engavetados à décadas nos órgãos reguladores da pesca no Amazonas.

A produção do pescado no estado poderia ser maior se os programas de piscicultura tivessem sido colocados à prova – foto: arquivo/divulgação

“Enquanto tiver isso(Jaraqui) a carne pode até virar Ouro”. Ouro ela já está, o governo Bolsonaro ou já perdeu as rédeas da economia nacional ou está incentivando o ministro Paulo Guedes promover a alta do Dólar e ganhar com as importações. Entretanto, o hipotético ganho do governo está deixando a população pagar o alto custo e o desabastecimento dos açougues.

Poste feito pelo Eder – foto: recorte

Preços da arroba

O preço da carne vermelha disparou em todo o país e o principal motivo vem de fora. As altas demandas chinesas pela carne brasileira estão a todo vapor e os frigoríficos estão vendo os seus estoques esvaziando e o cenário já é preocupante para o mercado interno. Vai faltar carne para o churrasco.

Voltando ao Jaraqui

Peixe tradicional da culinária amazonense o Jaraqui foi reconhecido como Patrimônio Imaterial de Manaus, através da Lei divulgada no Diário Oficial do Município (DOM), nº 2.540 foi sancionada pelo prefeito da capital, Arthur Neto.

O jaraqui é amplamente consumido em todo o Amazonas e é responsável, inclusive, por um ditado popular local: “Quem come jaraqui, não sai mais daqui”.

A frase faz referência às pessoas oriundas de outros estados e países que visitam Manaus e decidem residir na cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui