Presidente: reforça mentiras sobre eleições de 2014 e promete tumulto em 2022

Bolsonaro mente em live sobre eleições de 2014 e prepara terreno para tumultuar 2022 - foto: recorte/247

Jair Bolsonaro usou a transmissão para defender o voto impresso, atacar o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, e levantar dúvidas sobre o processo eleitoral do país.

Em live promovida pelo Jair Bolsonaro na noite desta quinta-feira (29), Eduardo [sem sobrenome divulgado até o fechamento desta reportagem], apresentado como analista de inteligência, mostra o que o chefe do governo federal classificou como “muitos indícios” de fraude em eleições anteriores no Brasil.

A pauta do ‘voto auditável’ tem sido utilizada por Bolsonaro para ‘tumultuar a democracia’ e preparar o terreno para dificultar a passagem do poder em 2022.

Bolsonaro aproveitou a ocasião para defender o voto impresso e atacar o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, que vem desmentindo as informações falsas propagadas pelo governo acerca do processo eleitoral brasileiro.

“Por que ele não quer uma eleição democrática?”, questionou Bolsonaro em pergunta direcionada a Barroso. “O senhor deveria ser o primeiro a ter humildade, em falar em democracia, sem transparência. (…) Por que o presidente do TSE quer manter a suspeição sobre o sistema eleitoral?”.

O chefe do governo federal também aparentou estar preocupado com a disponibilidade do ex-presidente Lula para concorrer à presidência em 2022: “é justo quem tirou o Lula da cadeia, quem o tornou elegível, ser o mesmo que vai contar o voto e uma sala secreta no TSE?”.

Tendências nazistas

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui