Projeto Ajuri desperta o interesse dos alunos da E.E. Porto, no Crespo, pela matemática

Foto: Divulgação

Alunos do Ensino Médio turno matutino da Escola Estadual Dorval Porto, bairro Crespo, Zona Sul de Manaus, apresentaram mais uma edição do Projeto Ajuri com o tema “As multifaces da Matemática”, ocorrido na manhã da última sexta-feira (15). As turmas exibiram trabalhos sobre acadêmicos das mais diversas formas que a matemática adquire no dia a dia. A escola faz parte da Coordenadoria Distrital Educacional 2 (CDE2) da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC).

Ajuri é uma palavra de origem indígena, significa trabalho feito em mutirão, o projeto existe na escola desde de 1997 na escola somente com literatura, mas com o passar dos anos se desenvolveu e atualmente é interdisciplinar, abrangendo todas as disciplinas, e tem como objetivo proporcionar a comunidade escolar uma abrangência nas áreas dos componentes curriculares, por exemplo, a matemática que é o tema desde ano, além de desenvolver o cognitivo dos educandos na resolução de problemas que envolva a matemática.

Dentre os temas abordados estavam: matemática e o tema transversal meio ambiente e água; vocábulos matemáticos; jogos matemáticos; curiosidades, músicas, poemas e humor matemáticos; formas geométricas dos objetos; matemática e as profissões; matemática e as tecnologias e matemáticos famosos. As apresentações foram abertas à comunidade e funcionários da própria escola, que também assistiram as apresentações. A cada sala visitada era evidente o empenho dos alunos, do chão ao teto, da ornamentação à apresentação.

Foto: Divulgação

Os alunos da turma 1 da 1ª série do Ensino Médio, com o tema Matemática e o tema transversal “Meio Ambiente” Água, capricharam na apresentação e na ornamentação da sala e mostraram os muitos problemas ocasionados pela falta de sensibilidade no uso desse recurso importante para a humanidade, entre várias outras problemáticas. A estudante Paula Dourado, 15, acredita que talvez com o trabalho apresentado pela classe possa despertar a consciência das pessoas que assistiam e relevou ter mudado de atitude por conta do que aprendeu com o trabalho, “Eu passei a ter depois que tomei consciência do quanto aquilo afeta a população que está em constante crescimento, durante a pesquisa nós vimos casos devastadores e esse conhecimento abriu mais a minha mente, tenho certeza que eu vou levar sempre”, disse Paula.

Os estudantes do 2º ano 1 apresentaram o tema: Curiosidades, músicas, poemas e humor Matemáticos. Eles promoveram uma dinâmica com questões matemáticas, explicando, por meio de uma pequena encenação de teatro, a utilização da matemática no cotidiano. Fizeram, também, apresentação de poemas, dança com músicas de letras que diziam respeito à matemática, além da apresentação oral. A aluna Brenda Almeida Paiva conduziu a dinâmica sobre a matemática e falou sobre a sua paixão pela disciplina. “Matemática é um assunto que eu amo e me contagia, meus colegas e eu estamos nos empenhando muito nesse trabalho. Foram mais de dois meses e é um trabalho que realmente nós queremos tirar uma boa nota. Eu quero fazer faculdade de contabilidade ou engenharia e quero levar a matemática para a vida, assim como eu quero que as pessoas levem para o cotidiano delas”, declarou Brenda.

Foto: Divulgação

O coordenador do projeto Ajuri, Joel Almeida de Araújo, descreve como uma grande satisfação estar à frente do projeto. “É uma grande satisfação que a gente vê que os alunos gostam do projeto. Eu gosto de trabalhar dessa forma, em grupo, então eles acabam se tornando protagonistas do próprio conhecimento e nós somos professores, somos apenas setas apontando o caminho”, afirma Joel.

A professora de matemática, Nara Silva, acredita que o tema do projeto vai ajudar os alunos a terem um novo olhar sobre a disciplina. “Geralmente a matemática é vista como um problema para os alunos, porque eles não gostam da matéria, não tem afinidade com assunto justamente por eles não conseguirem estabelecer a ralação entre a matemática e coisas do cotidiano. A matemática é vista de uma forma errada. Com a feira, com certeza aumentou mais a curiosidade deles para o tema, eu como professora me sinto gratificada por isso, porque o professor de matemática é sempre o terror da escola. A partir daqui eles terão um outro olhar”, disse a professora

O professor Jonas de Souza Oliveira, 29, considerou gratificante ver a matéria como tema do projeto Ajuri. “Eu recebo com grande alegria porque primeiramente os nossos alunos tem uma grande dificuldade e existe aquele paradigma na cabeça deles de que a matemática é complicada, difícil. É cálculo, conta, e a partir de um evento como esse pode-se perceber que não é somente isso que está no cotidiano. Está inserido em profissões e isso abre um leque muito grande na cabeça deles. A matemática é a ciência que envolve todas as profissões”, disse o Jonas.

O gestor Wellyngton Miranda Mesquita, 34, falou sobre as atividades e acredita estar contribuindo com o aprendizado dos alunos. “Essas atividades são inesquecíveis para os alunos e eles podem mostrar a sua criatividade e conteúdo. Nesse ano, o Ajuri vem com o tema matemática e a gente espera estar contribuindo para o crescimento intelectual desses alunos”, desejou o gestor.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui