Entretenimento

Retorno do Rouge causa frisson em show na Arena da Amazônia

Quinteto do grupo Rouge se reuniu após mais de dez anos-Foto: Patrick Marques/G1 AM
Redação I
Escrito por Redação I

O grupo Rouge fez o público relembrar as músicas que fizeram sucesso em um show no pódium da Arena da Amazônia, nesta sexta-feira (13). A formação original voltou a se reunir no fim de 2017 para novos shows, 15 anos após o lançamento do primeiro CD. Durante o show, os manauaras dançaram, foram às lágrimas e relembraram a famosa coreografia de “Ragatanga”.

O show teve início por volta de meia-noite. O quinteto original Fantine, Li, Aline, Karin e Luciana, reunidas desde o ano passado, subiram ao palco para trazer os grandes sucessos da carreira. Logo com a primeira música, “Blá Blá Blá”, os fãs foram à loucura e cantaram do início ao fim.

O grupo trouxe os hits como a famosa “Ragatanga”, “Brilha La Luna”, “Beijo Molhado” e “Um Anjo Veio me Falar”, que marcaram o início dos anos 2000 e o sucesso do Rouge. As meninas troxeram ainda a mais nova música, “Bailando”. Em todas as 26 músicas, o público foi de alegria e sorrisos, até lágrimas de emoção com a música “Não dá Pra Resistir”.

A alegria e emoção do público foi vista muitas vezes com a mesma intensidade no rosto do quinteto. Em vários momentos durante o show, elas sorriam e agradeciam pelos elogios recebidos pelos fãs.

Em um momento do show, o grupo recebeu cocares indígenas de uma fã. Antes de começar a música “Cidade Triste”, as cantoras agradeçaram a receptividade dos manauaras, desde a chegada até o show, e cantaram a canção com os adereços.

Quinteto do grupo Rouge se reuniu após mais de dez anos -Foto: Patrick Marques/G1 AM

Um dos momentos de mais receptividade do público foi quando as meninas cantaram “Ragatanga”. Pessoas que viveram o ápice do grupo certamente conheceram a música e a coreografia. Entre o público, todos os fãs faziam os passos em sincronia no clássico refrão.

Este foi o caso da estudante Astrid Rangel, de 18 anos. Ela, que foi ao show acompanhada de amigos, dançou a coreografia de “Ragatanga” do começo ao fim da música.

“Na época, eu era bem criança. Não podia entrar nos shows. Eu sempre fui muito fã e fiquei feliz com o retorno. Hoje, eu pude realizar meu sonho de vê-las de perto e foi muito emocionante”, afirmou Rangel.

A assistente social Andréia Cabral, de 41 anos, e a filha Beatriz Alencar, de 20 anos foram ao show juntas. Elas lembraram que costumavam ouvir as músicas do grupo Rouge na época em que surgiu. Com a reunião das meninas e o show em Manaus, elas viram uma oportunidade de relembrar a época.

“Era um sucesso há uns anos atrás. Todos escutavam e conosco não era diferente. Eu comecei a escutar e a minha filha veio junto comigo. Foi muito bom esse retorno e hoje viemos com aquela época na cabeça”, disse a assistente social.

‘Experiência linda’, diz grupo

Antes do show, o G1 conversou com o grupo. A cantora Fantine Tho contou que o grupo se reuniu após um dono de um evento e amigo das cantoras pedirem por um show.

“Deu certo uma reunião para comemorarmos os 15 anos de Rouge. Foi uma experiência linda que nos empolgou e acabamos por decidir retornar. Lançamos música nova e nos empolgamos para viajar o Brasil e viver a aventura outra vez”, disse Fantine Tho.

Quinteto do grupo Rouge se reuniu após mais de dez anos-Foto: Patrick Marques/G1 AM

Sobre o show em Manaus, Karin Hils afirmou que o grupo se surpreendeu com a receptividade dos fãs manauaras. “Tem sido incrível. Desde a chegada no aeroporto. Vimos uma euforia maravilhosa e o show da mesma maneira”, comentou.

Questionadas sobre o futuro do grupo após as apresentações, a cantora Lissah Martins comentou que as meninas têm feito muitas reuniões e escutado músicas novas do cenário, mas ainda não tem um posicionamento sobre o que deve ser do grupo.

“Ainda não sabemos o que vamos fazer. O mercado mudou bastante da nossa época para cá. Antigamente gravávamos discos com até quinze faixas. Hoje, os artistas lançam mais singles. Lançamos um e ainda pensamos como vamos dar continuidade no nosso trabalho. Não posso falar muita coisa ainda”, brincou Martins.

Fonte: G1

Deixe seu comentário