Sem ídolos, Bota e Flu decidem a primeira vaga nas finais do Carioca

No clássico decisivo ídolos fora/Foto: Divulgação

No clássico decisivo ídolos fora/Foto: Divulgação
No clássico decisivo ídolos fora/Foto: Divulgação

O ditado diz que clássicos são decididos nos detalhes, por isso, em partidas desse calibre, a torcida espera que seus ídolos sejam os destaques. Mas, no caso do clássico que vai decidir o primeiro finalista do Campeonato Carioca, as atenções terão de ser voltadas aos coadjuvantes.

Isso porque os capitães Jefferson e Fred estarão ausentes do segundo embate da semifinal entre Botafogo e Fluminense, hoje, sábado, às 17h30 (Horário de Manaus), no Estádio Nilton Santos – como o Bota rebatizou o Engenhão.

O goleiro se recupera de uma artroscopia no joelho direito, enquanto o atacante foi suspenso pelo TJD-RJ após declaração contra a arbitragem do estadual. Depois de vencer por 2 a 1 na primeira partida, há uma semana, no Maracanã, o Tricolor tem a vantagem do empate. Caso o Alvinegro vença por um gol de diferença, a disputa vai para os pênaltis. Para se classificar nos 90 minutos, o time de René Simões precisa ter dois ou mais gols de vantagem do que seu rival. Quem levar a melhor no confronto decide o estadual com Vasco ou Flamengo, que duelam neste domingo.

Fora de combate, Jefferson deu lugar a Renan. Embora conte com o titular da seleção brasileira, a torcida do Botafogo tem se mostrado segura com as atuações do substituto. Se não tem sua principal referência, o Alvinegro tem a confiança de jogar em casa. A diretoria conseguiu a liberação do Estádio Nilton Santos, ainda em obras, para 25 mil pessoas e aposta no conhecimento de seu campo para conseguir a vitória que vai levá-lo à final.

E Fred viu a última cartada do clube para liberá-lo ir por água abaixo: o departamento jurídico tricolor esbarrou na decisão do TJD-RJ de recusar o pedido de efeito suspensivo. Mais do que a perda dos gols do atacante, que é o goleador do Carioca com 11 bolas na rede e tem o Alvinegro como sua maior vítima (13 gols em 18 jogos), o Flu lamenta a ausência do seu grande líder. Sem ele, a responsabilidade recai sobre os ombros de quem ainda começa a engatinhar entre os profissionais: o meia Gerson e o atacante Kenedy viraram as esperanças do time de Ricardo Drubscky, que deve escolher Lucas Gomes para assumir a posição do camisa 9.

Péricles Bassols Cortez apita o jogo, auxiliado por Dibert Pedrosa Moisés e Michael Correia.

As equipes

Botafogo: René Simões fechou as portas do Estádio Nilton Santos na primeira parte do treino da última sexta-feira, o que dificultou a possibilidade de saber qual time irá a campo. No entanto, o zagueiro Alisson e o atacante Jobson correm riscos na equipe titular. Na defesa, Diego Giaretta pode ser deslocado para a zaga, com Marcelo Mattos retornando ao meio-campo. O atacante Jobson tem a concorrência de Rodrigo Pimpão. O Botafogo deve entrar em campo com a seguinte formação: Renan, Gilberto, Renan Fonseca, Alisson (Marcelo Mattos) e Carleto; Diego Giaretta, Willian Arão, Elvis e Tomas; Jobson (Rodrigo Pimpão) e Bill.

Fluminense: a tendência é que Lucas Gomes assuma o lugar de Fred, suspenso. Mas o meia Marlone também é alternativa e corre por fora. Na lateral direita, Wellington Silva retorna após cumprir suspensão. O zagueiro Marlon, recuperado de dores musculares, também está de volta. A provável escalação tem Diego Cavalieri, Wellington Silva, Gum, Marlon e Giovanni; Edson, Jean, Vinícius e Gerson; Kenedy e Lucas Gomes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui