Sema orienta sobre cuidados com animais de estimação durante pandemia

Foto: Jamile Alves/Sema

O número crescente de casos do novo coronavírus (Covid-19) acendeu um alerta mundial sobre a doença. A preocupação se estende também aos animais de estimação. Pensando em esclarecer todas as dúvidas sobre o assunto, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), por meio da Assessoria de Bem Estar Animal, orienta a população sobre os cuidados básicos que devem ser adotados com os companheiros de patas.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), não existem evidências significativas de que animais de estimação possam ser infectados pelo novo coronavírus ou transmitir o Covid-19 para seres humanos. Entretanto, a Associação Mundial de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais recomenda que pessoas infectadas evitem o contato direto com seus cães e gatos.

A veterinária Suelen Muniz, esclarece que existe uma enorme variedade de coronavírus em animais, presente em cachorros, gatos, aves e até em peixes. Entretanto, não se trata da mesma doença. O coronavírus em animais não causa o Covid-19 e nem pode ser transmitido para espécies diferentes.

O coronavírus que afeta os cães pode ser prevenido por meio de uma vacinação anual, que não pode ser aplicada em humanos e não é eficaz contra a Covid-19.

Passeios com os pets – A principal orientação dos órgãos de saúde é de que a população evite ao máximo sair de suas residências, inclusive para passeios com os pets. Os passeios com os animais de estimação devem ser evitados, apenas para atender às necessidades fisiológicas do animal, caso não haja outra alternativa. É necessário, ainda assim, evitar o contato com outros bichos e pessoas, buscando lugares menos aglomerados e horários mais tranquilos para a atividade.

A assessora de bem-estar animal da Sema recomenda ainda a higienização das patas dos pets com água e sabão e lavar bem os coxins – parte debaixo das patinhas. “O ideal é não levar o pet para fora de casa, manter em isolamento para proteger a saúde de todos, mas se for inevitável a saída para a rua, não ficar em ambientes com muitas pessoas”, destacou a veterinária.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui