Sepror participa de dia de campo para difundir produção de pitaya no AM

Foto: Divulgação

A Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), em parceria com a Associação Comunitária Agrícola São Francisco do Caramuri (Acasfc), participou, na manhã do domingo (22/05), de mais um evento do dia de campo promovido pela Fazenda Toca da Pitaya, situada no Km 35 da estrada AM-010, Ramal Água Branca II, Km 01, no município de Rio Preto da Eva (distante 57 quilômetros de Manaus).

O secretário titular da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior, acompanhou a produção de pitaya na propriedade, e destacou o apoio do Governo do Estado e da Prefeitura de Manaus para alavancar a parceria das duas culturas na produção e exportação dos produtos para o mercado internacional.

“É uma cultura de grande potencial, muito adaptada ao nosso bioma amazônico, por isso, a Sepror e a Semacc (Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento, Centro e Comércio Informal) estão irmanadas para que possamos selecionar produtores interessados em investir na pitaya e estimular essa produção, para garantir uma renda digna para quem for plantar aqui no Amazonas. Acreditamos que a pitaya seja mais uma alternativa, dentre tantas cadeias produtivas locais para as famílias”, destacou o secretário.

Foto: Divulgação

Durante o evento, foi feita uma apresentação da cultura da pitaya para aproximadamente 50 agricultores de Caramuri, com intuito de fazer uma parceria com os produtores de abacaxi para suprir o mercado local e, posteriormente, o mercado internacional.

A ação também foi marcada pela efetivação da parceria entre o Governo do Estado e da Prefeitura de Manaus, por meio da Semacc, que fez o cadastro dos produtores interessados em iniciar a produção de pitaya em suas propriedades.

Com essa parceria, o governo e o município vão subsidiar o primeiro hectare dos agricultores interessados no cultivo da pitaya, por meio do repasse de calcário, arame, estacas, mudas da fruta e toda a assistência. A iniciativa visa que o produtor consiga se manter sozinho a partir do plantio do segundo hectare, e assim, estender a produção, melhorar a renda das pequenas famílias e dar condições de difundir essa cultura no estado, com quantidade suficiente para expandir a produção para o mercado nacional e internacional.

Foto: Divulgação

Segundo o empresário e proprietário da Fazenda Toca da Pitaya, Cleber Medeiros, a pitaya é uma fonte de renda sustentável, de manejo rústico, com excelente produtividade em pequenas áreas e alto valor de mercado, sendo uma nova alternativa para popularizar a fruta no comércio do estado e ainda gerar mais emprego e renda.

“Essa ação de hoje vem coroar um trabalho que comecei há mais ou menos nove anos. A parceria com a Acasfc vai trazer ainda mais geração de emprego e renda para os produtores da região. Vamos invadir o mercado internacional com a pitaya produzida em nosso estado e o melhor abacaxi do mundo, e com a parceria do Governo do Estado e a prefeitura, ficaremos mais perto de suprir o mercado nacional e internacional futuramente”, enfatizou o empresário.

Para o presidente da Acasfc, Daniel Leandro da Silva, o dia de campo foi uma oportunidade de agregar valor à cultura do abacaxi de Caramuri.

“Com a cultura da pitaya gerando renda ao produtor, nós vamos conseguir melhorar a qualidade de vida do homem do campo, fazendo com que o mercado local, nacional e até internacional, venha abraçar essa causa que é social e sustentável. Nós conservamos e preservamos a natureza, produzindo com tecnologia e qualidade, fazendo com que o produtor consiga levar à mesa de milhares de pessoas, produtos de qualidade para a transformação da vida de quem consome nossos produtos”, afirmou o presidente.

Produção

O projeto de produção da cultura da pitaya, do empresário Cleber Medeiros, teve início há nove anos. A propriedade tem atualmente 65 hectares plantados, sendo que 17 hectares estão produzindo o fruto a todo vapor, gerando uma produção entre 7 e 8 toneladas mensais no período de pico, que vai de setembro até maio.

A propriedade possui aproximadamente 100 mil pés do fruto, gerando em média 20 toneladas por hectare, chegando a R$ 20 reais o quilo da fruta.

Participantes

Estiveram no evento o secretário executivo de Política Agrícola, Pecuária e Florestal da Sepror, Airton Schneider; a diretora do Departamento de Agricultura da Semacc, Meyb Seixas; o pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa/AM), Marcos Garcia; a superintendente de desenvolvimento sustentável da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Valcléa Soledad; a subsecretária de Políticas Afirmativas para as Mulheres e de Direitos Humanos, Graça Prola; o presidente da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB/AM), Merched Chaar.

Participaram ainda a engenheira agrônoma do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), Cleubia Francisca; o diretor de Economia Criativa e Solidária da Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi), Sidnei Nunes Magalhães; e o presidente da Cooperativa Mista Dos Produtores Rurais Amazonas (Compam), além de empresários e produtores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui