Servidor sofre ameaça de morte por denunciar desvio no Fundeb de Maués

Ronaldo Duarte da Costa Júnior denunciou o prefeito de Maués - Foto: Divulgação

O ex-servidor do município de Maués (a 276 quilômetros a leste de Manaus) Ronaldo Duarte da Costa Júnior denunciou o prefeito da cidade, Carlos Roberto de Oliveira Júnior, o Júnior Leite (Pros), pelo crime de ameaça, após ter revelado fraudes nas licitações da prefeitura, envolvendo recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Júnior Leite, também, é presidente da Associação Amazonense de Municípios (AAM).

A denúncia contra suspeitas de desvios no Fundeb foi registrada no Ministério Público Federal (MPF), no dia 7 de maio deste ano. No MPF, o caso levou a nomenclatura de ‘Notícia de Fato’, com o número 1.13.000.001537/2019-00 e, em seguida, foi transformada em ‘Procedimento Preparatório’. Quem atua na investigação é o procurador da República, Thiago Augusto Bueno.

Ronaldo relatou que o prefeito de Maués descobriu a denúncia e o chamou para uma conversa no dia 2 deste mês. Durante o encontro, segundo o ex-servidor, Júnior Leite fez graves ameaças a sua integridade física e moral. Preocupado, Ronaldo levou o caso à polícia e registrou um Boletim de Ocorrência (BO) contra o prefeito, no dia seguinte.

Em depoimento, o ex-funcionário público explica que recebeu uma mensagem de Júnior Leite para participar de uma reunião no gabinete dele, na sede da Prefeitura de Maués. Na conversa com o prefeito, Ronaldo afirmou que ouviu do interlocutor que ele foi instruído a dar “fim” nele, o que o ex-servidor entendeu ser uma ameaça de morte. “Muitas pessoas querem ceifar minha vida, e ele (Júnior Leite) tem amigos que podem me dar sumiço”, afirmou o ex-servidor, prometendo não retroceder nas acusações. “O prefeito quer fazer a denúncia se voltar contra mim, dizendo que eu fiz um desvio de R$ 500 mil, mas eles é que cometeram o crime”, completou.

Ronaldo Duarte da Costa Júnior denunciou o prefeito de Maués – Foto: Divulgação

Irregularidades reveladas

No Ministério Público Federal, as denúncias relatadas por Ronaldo Duarte foram tipificadas como ‘fraude em licitação’ e ‘corrupção ativa e passiva’. Ao divulgar as irregularidades, o ex-servidor da Prefeitura de Maués dá detalhes de números de atas de registro de preços, identifica pregões eletrônicos e empresas suspeitas.

O esquema contava com a participação de Ronaldo, que, segundo ele, cumpria ordens da mulher de Júnior Leite, a secretária municipal de Obras da cidade, Solange Rocha. Segundo Ronaldo, os saques da conta do Fundeb ocorriam mediante a ordem de pagamento para empresas de materiais de construção, que não faziam as entregas nas obras das escolas.

Ele disse, ainda, que a Prefeitura de Maués divulgou que fez obras em 44 escolas da zona rural, mas somente 20 escolas receberam efetivamente os serviços. Nas demais 22 unidades, Ronaldo afirmou que as obras não foram realizadas ou foram feitas de forma parcial, mas os serviços constam como pagos.

Procurado pela reportagem para se manifestar sobre as denúncias de desvios no Fundeb envolvendo ele e a mulher, além das ameaças de morte contra um ex-servidor municipal, o prefeito de Maués, Júnior Leite, limitou-se a dizer “que nunca ameaçou ninguém, funcionário ou não”.

Com informações Agência Am1/Grupo Diário

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui