Sintracomec/Am flagra irregularidades em canteiro de obras de construtora

Sassá joga duro e dá prazo para regularização/Foto: Divulgação

Presidente Cícero Custódio chega ao canteiro de obras/Foto: Divulgação
Presidente Cícero Custódio chega ao canteiro de obras/Foto: Divulgação
Sassá joga duro e dá prazo para regularização/Foto: Divulgação
Sassá joga duro e dá prazo para regularização/Foto: Divulgação

Um grupo de diretores do Sintracomec-Am tendo à frente o presidente Cícero Custódio, o Sassá  da Construção Civil, realizou na terça-feira (15),  uma blitz de surpresa para flagrantear irregularidades que vêm prejudicando cerca de 30 trabalhadores da Empresa Politrade, contratados para o canteiro de obra do 21º Distrito Integrado de Polícia.

Trabalhadores avulsos e sem carteira assinada, sem o café da manhã para tomar antes de começar o serviço do dia a dia, sem fardamento e equipamento de proteção individual (EPI). Estas foram as principais irregularidades denunciadas na presença do presidente Sassá e dos diretores, Haroldo da Costa,Carles Waldemar, Rozineide Rodrigues, Ana Dalva, Elizomar Amorim, Natanael Ferreira.

Sassá quer todos os problemas resolvidos

Na reunião com os trabalhadores, o presidente do Sintracomec/Am, também, descobriu que a empresa denunciada por não estar dando a Cesta Básica, como determina o acordo da Convenção coletiva. Diante de tudo o que foi exposto, o presidente Sassá deu um prazo para que a direção da Empresa Politrade se apresente na sede do Sintracomec-Am, para dar explicações sobre as irregularidades denunciadas.

Sassá da Construção Civil foi informado também que dois trabalhadores foram demitidos sumariamente porque denunciaram as irregularidades, o que foi confirmado pelo mestre de obras, Raimundo Nonato Medeiros. O presidente disse que se for preciso vai acionar a Delegacia Regional do Trabalho e a Procuradoria do Trabalho do Ministério Público, para que intercedam juntamente com o Sindicato, para que estes funcionários sejam imediatamente reintegrados à empresa denunciada.

Empresa terá prazo para regularização

Num contato telefônico do mestre de obras com um dos donos da Politrade, ele se comprometeu em resolver, primeiramente, o problema do café da manhã dos operários do canteiro de obras do 21º DIP dentro das próximas 24 horas. A diretora Rozineide Rodrigues deve retornar nesta quarta-feira ao canteiro de obras, para documentar todas as queixas, numa reunião com os trabalhadores. O presidente Sassá deu prazo até quinta-feira, para a solução do café da manhã dos funcionários e para representantes da empresa comparecerem no sindicato para resolver o problema dos trabalhadores sem carteira assinada até o momento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui