Sobe para 122 o nº de mortos em Petrópolis

Casa no alto do Morro da Oficina, em Petrópolis — Foto: Marcos Serra Lima / g1

Durante a madrugada desta sexta-feira (18), sirenes no Morro da Oficina um dos locais mais devastados pela tempestade voltaram a tocar.

O número de mortos chegou a 122, segundo o Corpo de Bombeiros. Segundo o Instituto Médico-Legal (IML), são 79 mulheres e 41 homens. Desses, 21 são menores de idade. Ao todo, 70 corpos foram identificados, e outros 36, liberados. Veja quem são algumas das vítimas já reconhecidas.

Até esta quinta-feira (17), o IML tinha apenas um caminhão frigorífico para armazenar os corpos. Nesta sexta, com o reforço da infraestrutura, o órgão passou a contar com dois caminhões e dois contêineres frigoríficos.

Segundo a Polícia Civil, foram feitos 116 registros de desaparecimentos, mas não se sabe quantos desses já foram encontrados. Veja quem são os desaparecidos.

O coronel Leandro Monteiro, secretário estadual de da Defesa Civil e comandante dos bombeiros, explicou que não pode avançar com máquinas pesadas, como tratores, em qualquer lugar.

“Nestes locais onde a população pede o uso de máquinas, nós não podemos entrar com máquinas agora. O Corpo de Bombeiros acredita encontrar pessoas com vida ali”, afirmou Monteiro. “Eu não posso remover o solo da maneira que eles querem.”

Monteiro detalhou o protocolo dos bombeiros: “Temos uma técnica para este tipo de desastre. Primeiro, precisamos de silêncio. É um trabalho manual, chamamos as pessoas pelo nome, depois passamos com os cães treinados para encontrarem pessoas vivas, e depois os bombeiros passam fazendo mais um chamado pelo nome”.

Por causa do mau tempo e do terreno instável, as buscas haviam sido suspensas na noite desta quinta, para garantir a segurança das equipes.

g1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui