Técnica permite detectar doença mortal da banana

A doença da banana é uma ameaça muito séria - Foto: Reprodução

Um novo método que permite detectar em meia hora o fungo que ameaça a plantação mundial de bananas foi aplicado com sucesso na Colômbia e nas Filipinas e, embora ainda não tenha sido desenvolvido comercialmente, as informações já estão disponíveis para quem deseja aplicá-las.
O teste foi desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Wageningen, na Holanda, e é baseado em uma técnica existente chamada LAMP (Amplificação Isotérmica Mediada por Loop) que analisa o DNA de uma amostra de planta, pode ser realizada em campo e não requer laboratórios sofisticados para detecção.

Os métodos convencionais atuais exigem pelo menos dois dias da coleta da amostra em campo para oferecer resultados. Este teste foi desenvolvido para identificar o fungo Fusarium oxysporum (Fusarium TR4) que causa a doença conhecida como Mal de Panama, espalhada por quatro continentes por décadas e encontrada pela primeira vez este ano na área colombiana de La Guajira, um dos principais produtores de frutas.

A doença da banana é uma ameaça muito séria – Foto: Reprodução

“A doença da banana é uma ameaça muito séria, pois é uma cepa muito agressiva para a variedade Cavendish, responsável por aproximadamente 80% da produção de banana. O fungo é muito arriscado e se espalha muito facilmente. A história nos ensinou que é quase impossível interromper sua expansão”, disse Fernando García-Bastidas, pesquisador que fez parte do desenvolvimento, mas atualmente trabalha na empresa de biotecnologia KeyGene.

Esta doença (tecnicamente TR4) causa murcha e produção insuficiente de clorofila (clorose) nas folhas da planta. Após a descoberta, La Guajira foi colocada em quarentena pelo Instituto Colombiano de Agricultura e iniciou um forte trabalho de erradicação em massa. A emergência foi declarada em 8 de agosto e foram tomadas medidas nos 175 hectares afetados do sexto exportador mundial do produto.

Fonte: Portal Agronegócio


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui