Tempos de hipocrisia – por Odenildo Sena

Odenildo Sena é Professor da Universidade Federal do Amazonas.

Na véspera do julgamento do habeas corpus de Lula no STF, o general Villas Bôas, comandante do Exército, manifestou profunda indignação contra a impunidade. Por sua vez, o procurador Deltan Dallagnol, aquele que não tem provas, mas tem convicção, fez jejum pela prisão de Lula e contra a impunidade, também na véspera do julgamento do habeas corpus do ex-presidente. Embora a tradição cristã pregue ser de foro íntimo, Dallagnol fez questão de tornar público o seu jejum nas redes sociais.

Pois bem, nos últimos dias o país ficou sabendo que processos contra José Serra e Aécio Neves, ambos do PSDB, prescreveram sem investigação e foram arquivados. Do mesmo modo, soube-se também que Geraldo Alckmin, de codinome “O Santo”, foi ouvido em absoluto sigilo pela justiça, sem condução coercitiva, e recebeu um belíssimo presente dos amigos: livrou-se da lava jato em um processo que envolvia R$ 10 milhões em propina. Coisa de grande camaradagem.

Por um acaso alguém aí viu alguma manifestação de indignação do general Villas Boas contra a impunidade desses tucanos?

Por um acaso alguém por aí viu nas redes sociais o Dallagnol anunciar novo jejum pela impunidade desses tucanos?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui