A Teoria do Caos: Arthur, Eduardo, Rebecca, Melo, Omar, Praciano, Nejmi Aziz e a Campanha Eleitoral 2014

Hissa e Guto: apagando fogo com gasolina. (foto: amazonasatual) rompimento que faltava
Hissa e Guto: apagando fogo com gasolina. (foto: amazonasatual) rompimento que faltava
Hissa e Guto: apagando fogo com gasolina. (foto: amazonasatual) rompimento que faltava

Na teoria do Caos, uma borboleta bate as asas no Pacífico e chove na Amazônia. O exemplo serve para explicar fatos aparentemente isolados, mas que podem influenciar decisivamente no processo da ordem natural, em todo planeta. O ecossistema político local tem a ver com a eleição deste ano e os conflitos partidários, as lutas pelo poder, o jogo ambicioso de se estabelecer posições em um cenário futuro ainda imprevisível para Arthur Neto, Eduardo, Rebeca, Melo e a campanha eleitoral.

Descartes de Parceiros I

O Efeito Borboleta de Manaus envolve os fatos recentes, com mais um episódio objetivo e concreto: a exoneração do Secretário da Semtrad, Guto Rodrigues e militantes do PPS, depois que uma comissão de inquérito coordenada pelos subsecretários Paulo Junior Mendonça e Vicente Filizzola e mais duas servidoras, com anuência dos Secretários Lourenço Braga e Márcio Noronha, tendo como coadjuvante o deputado Arthur Bisneto, estabeleceram mais um marco de uma história de magoas, humilhações, perseguições, ambições políticas, criando todas as condições para problemas futuros para Arthur Neto.
Guto contou em coletiva de imprensa, que os métodos se assemelharam as listas nazistas contra judeus.
Sem o seu conhecimento, estabeleceu-se uma lista de exonerações, cujo alvo seriam os servidores ligados ao PPS, antigo aliado, hoje um inimigo declarado desde o episódio Hissa Abraão sendo abatido em pleno voo, demitido publicamente, em um programa de rádio, por Arthur Neto, depois que a estrela emergente do PPS, sonhou poder disputar o governo do Estado.
A semana que inicia, terá o desdobramento desta história sendo exposto na Câmara de Vereadores de Manaus, onde o ex-secretário pode voltar a delatar uma espécie de “mensalinho baré”, onde, supostamente, ex-secretários licenciados para campanha eleitoral estariam recebendo recursos do poder público. Hissa Abrahão, jovem e ambicioso, é hoje forte adversário de Arthur Bisneto que sonha ser deputado federal, com as bênçãos do pai, seu principal cabo eleitoral.

 

(Deamazonas post)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui