Transexuais viram modelos em desfile de moda com tema ‘inclusão’, no Amapá

Evento busca discutir o preconceito e a inclusão social no estado/Foto: Divulgação

Autenticidade é uma das marcas registradas de quem trabalha com moda. Por isso um desfile em Macapá apostou em modelos transsexuais para levar ousadia e inclusão na passarela. O evento faz parte da semana de moda de um shopping da capital e vai ocorrer na sexta-feira (28), a partir das 20h.

De acordo com a empresária Roxanne Negreiros, a proposta é discutir o preconceito em relação ao público LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais). Ela é responsável por uma camiseteria que apostou no tema.

“Além da originalidade, o objetivo é chamar atenção ao tema inclusão social e apresentar novidade do mundo da moda. A marca busca otimizar as potencialidades de cada modelo. Vi nas transexuais autenticidade e a oportunidade de debater um assunto importante na sociedade que é o preconceito. As pessoas não devem ser prisioneiras dos próprios hormônios”, disse.

Evento busca discutir o preconceito e a inclusão social no estado/Foto: Divulgação
Evento busca discutir o preconceito e a inclusão social no estado/Foto: Divulgação

Entre as modelos, a Miss Amapá Gay Universo 2016, Flávia Guimarães, foi selecionada para participar. Para ela, o evento representa um avanço na conquista por espaço ao público LGBT.

Flávia conta que antes tinha medo se expôr e, atualmente, não sofre mais com isso.

“Participar de um desfile ao lado de transexuais representa a extinção do receio e vergonha que eu tinha de mim, devirados de paradigmas sociais. Hoje, eu já não tenho medo de aparecer, consegui derrubar esse tabu. Essa oportunidade é para o nosso próprio bem-estar”, destacou a miss.

A ‘Semana de Moda’ segue no dia 29, no Villa Nova Shopping, no bairro Central. Participam mais de 35 lojas que vão apresentar, em dois dias, novidades em tendências de vestuário, acessórios e calçados. A entrada é gratuita. O evento conta com apoio da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e do Instituto do Câncer Joel Magalhães (Ijoma).

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui