UEA: importante formar, mas é preciso firmar os egressos no interior – por Professor José Melo

Então governador do Amazonas, José Melo, na abertura do ano letivo da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), em 2015 - foto: recorte/recuperada

Consolidada com a oferta de cursos de graduação em todas as licenciaturas que compõem a Educação Básica, tanto na capital quanto no interior, a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) vem, ao longo de seus 21 anos de existência, gradativamente, ofertando cursos tecnológicos especialmente voltados para o desenvolvimento das cadeias produtivas nas Calhas dos Rios do Amazonas e a geração de oportunidades, emprego e renda para o seu já expressivo contingente populacional.

No cumprimento de suas finalidades, principalmente no que se refere à interiorização  de  suas ações, a UEA implantou cursos de Produção Pesqueira, Tecnologia em Alimentos, Construção Naval, Agroecologia e, recentemente, o Tecnólogo em Mineração, além dos cursos de Tecnologia  da  Educação,  Tecnologia  da Saúde, Tecnologia  do Comércio,  Tecnologia  da  Agricultura.

Jovens egressos da UEA, um patrimônio da educação do Amazonas que precisa ser firmado no interior – foto: recuperada

Jovens e políticas públicas

Sabemos que o papel de formar o cidadão do interior tem sido feito com maestria pela nossa Universidade, mas, mesmo com a contribuição primordial desenvolvida para estimular a permanência dos jovens no interior, motivando-os pela geração qualificada de ingresso no trabalho, ainda assim, é preciso um olhar mais amplo, com políticas públicas impactantes para o desenvolvimento econômico do interior do Estado.

Precisamos sim, criar políticas públicas voltadas para a fixação dos egressos da Universidade Estadual do Amazonas em seu município de origem, para que eles coloquem em prática o conhecimento teórico adquirido durante o período em que foram alunos da brilhante Universidade amazonense.

A UEA estará, assim, também, contribuindo para estimular a permanência dos jovens no interior, motivados pela geração de oportunidades e a criação de novos negócios. Uma espécie de engrenagem, que já começa a revelar seus impactos no desenvolvimento econômico do Estado e na construção de novas histórias de vida para os amazonenses.

Como fazer isso?

Simples!… Podemos buscar parcerias governamentais e privadas, criar Projetos de Leis, trazer emendas parlamentares capazes de financiar esses homens e essas mulheres do interior no fomento de seus próprios negócios, de maneira sustentável, levando emprego e renda e, desenvolvimento da economia em seus municípios.

É preciso ter um olhar atento, direcionado aos egressos da Universidade do Estado do Amazonas, que durante esses 21 de existência já formou inúmeros tecnólogos nas mais diferentes áreas do conhecimento.

Frase proferida em Paris, na Conferência do Clima, pelo então governador José Melo – foto: recorte/arquivo

Professor José Melo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui