Visita relâmpago mostra negligências na Saúde Indígena do Brasil

Secretária Especial de Saúde Indígena, Silvia Waiãpi no Amapá - foto: divulgação

O orçamento da Secretaria Especial de Saúde Indígena é de mais de R$ 1,4 Bilhão por ano e a nova Secretária, Silvia Waiãpi, detectou em visita relâmpago uma enorme quantidade de medicamentos vencidos, quites odontológicos e equipamentos que não foram distribuídos nas aldeias.

Em visita relâmpago a Secretária Especial de Saúde Indígena, Silvia Waiãpi, chegou no Amapá, entre visitas e reuniões o objetivo é tratar de forma direta a gestão da Sesai.

“Agora é um novo momento para saúde dos povos indígenas no País, minha tarefa delegada pelo presidente Bolsonaro e pelo nosso ministro Mandeta é proporcionar um novo rumo a saúde dos povos indígenas”, afirma a secretária.

Serão várias visitas relâmpagos em todo o Brasil dando início a gestão, Sesai em movimento e em ação.

Material destinado à saúde indígena amontoados no fundo dos galpões – foto: divulgação

A Secretária Especial de Saúde Indígena, Sílvia Waiãpi, fez ontem (3) uma visita surpresa à Casai do DSEI Guamá-Tocantins em Belém (PA).

Durante a visita, vários problemas foram constatados. Piso irregular, paredes sujas, infraestrutura claramente insuficiente e problemas na cozinha onde é preparada a alimentação dos indígenas.

De acordo com a secretária, a quantidade de recursos disponíveis para o DSEI Guatoc não justifica a situação precária encontrada no local que deveria ofertar acolhimento digno para os indígenas durante o tratamento de saúde na capital Paraense.

Fonte: Amazon Presse

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui