Vitiligo: o que é e como é possível tratar?

Foto: Reprodução

O vitiligo é caracterizado como uma condição que faz a pele perder sua coloração. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, cerca de 1 milhão de brasileiros são afetados por ele. Esse distúrbio pode ocorrer em pessoas de qualquer raça, porém, quanto mais escura for a pele, maior será o contraste entre as partes descoloridas e as de tom normal.

Para além de um problema estético ou de cuidados especiais rotineiros, o vitiligo ainda afeta a autoestima da pessoa, visto que a maioria dos indivíduos já foi alvo de preconceitos, isso quando não perderam alguma oportunidade durante a vida devido a mitos sobre o distúrbio como, por exemplo, o de que é contagioso.

A seguir, vamos entender melhor o vitiligo e quais os tratamentos disponíveis para essa condição. Acompanhe!

Quais os sintomas do vitiligo?

Perda de cor nas membranas mucosas — tecidos que revestem o interior do nariz e da boca.

Grisalho que surge prematuramente nos cílios, couro cabeludo, barba ou sobrancelhas.

Perda da cor da pele que acontece de forma irregular. Geralmente o problema começa primeiro nas mãos, ao redor dos genitais, aberturas do corpo e rosto.

Apesar de poder surgir em qualquer idade, o vitiligo tende a ocorrer antes dos 30 anos.

Algumas pessoas podem sofrer descoloração em quase que todas as áreas das superfícies da pele, como se fosse uma supermancha. No entanto, o vitiligo pode acometer partes do corpo ou apenas  uma região específica ou lado.

Foto: Reprodução

Tratamentos para vitiligo

Uma das maiores dificuldades da medicina em lidar com o vitiligo é que se trata de uma condição muito difícil de se prever como vai progredir. Por exemplo, em algumas pessoas as manchas param de se formar sem qualquer tratamento. Em outros casos, elas podem se espalhar envolvendo a maior parte da pele. Também há situações em que a pele consegue recuperar a cor.

Agora vejamos alguns dos tratamentos mais eficientes da atualidade para lidar com o vitiligo.

Protetor solar: como as partes mais claras da pele ficam mais sensíveis à luz solar e podem se queimar com mais facilidade, o uso de protetor solar é essencial. Claro, para saber o mais adequado é preciso consultar um especialista em dermatologia.

Fototerapia com luz UVB: a exposição a lâmpadas ultravioleta (UVB), por ser uma opção prática e permitir o uso diário em casa é um dos tratamentos mais usados para vitiligo. Essa terapia, combinada com outros tratamentos, pode levar a resultados ainda mais positivos. Dependendo da situação, pode ser preciso que a pessoa passe pelo procedimento em uma clínica ou hospital.

Camuflagem: a camuflagem da pele é usada mais por pessoas com vitiligo leve. Existem cremes específicos e maquiagens para esse fim.

Despigmentação: quando o vitiligo atinge 50% ou mais do corpo, a despigmentação pode ser uma alternativa de tratamento. Nesse caso, é feita a redução da cor nas áreas não afetadas pela condição, para que fiquem com uma tonalidade próxima às manchas brancas.

Há várias outras opções de tratamento para o vitiligo, tais como, tatuagem, corticoides, medicamentos e enxertos de pele. Contudo, é importante ressaltar que não existe um tratamento 100% eficaz contra o distúrbio.

O vitiligo não tem cura. Mas com o acompanhamento adequado é possível gerenciar melhor a condição. Por isso, se você apresentar alguns dos sintomas apontados acima, procure um médico especializado.

Fonte: Mega Curioso

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui