Voto feminino renovou a democracia, diz Conceição Sampaio

Deputada Conceição Sampaio(PP) e o voto feminino/Foto: Danilo Mello

Deputada Conceição Sampaio(PP) e o voto feminino/Foto: Danilo Mello

“Democracia se faz com a participação de mulheres no parlamento”, frisou a deputada estadual Conceição Sampaio (PP), presidente da Comissão da Mulher, das Famílias e do Idoso, na Assembleia Legislativa do Amazonas, em seu pronunciamento na sessão de ontem (25), ao destacar o Dia do Voto Feminino, que completou 82 anos na segunda-feira (24).

“A democracia se renovou, pois comemoramos os 82 anos do voto feminino”, ressaltou a deputada, ao lembrar que o Brasil só assegurou esse direito às mulheres em 1932. “Até essa data, nós mulheres, não tínhamos o direito de ir às urnas fazer nossas escolhas ou colocar o próprio nome à disposição nas eleições. A mulher foi, por muito tempo, considerada pelo estado brasileiro como ser não pensante. Até mesmo depois de 32, quando Getúlio Vargas assegurou no Código Eleitoral Brasileiro a possibilidade da mulher votar e ser votada, algumas regras limitavam esse direito, como a de que a mulher só votava se fosse casada e se o marido permitisse”, lembrou.

A data é histórica, de acordo com a deputada Conceição Sampaio, para todos que lutam por uma sociedade melhor, mais justa, mais igualitária. “As regras foram quebradas em anos posteriores e novos desafios são colocados. Hoje, por exemplo, precisamos lembrar aos partidos políticos que não basta apenas colocar o nome de mulheres para cumprir uma cota de 30 %, mas é preciso que haja todo um investimento para que de fato essa candidatura feminina seja colocada a disposição do eleitorado com chances de vitória”, observou.

“Queremos paridade nas candidaturas. Mas queremos ir além de cotas. Queremos financiamento público de campanha. Democracia se faz com a participação de mulheres no parlamento”, destacou Conceição Sampaio. E reconheceu também a participação dos movimentos de mulheres, que lutam para assegurar direitos, a exemplo do enfrentamento à violência sofrida pelas mulheres, bem como da sociedade que tem cobrado pela diminuição dessa violência contra mães e filhas.

A parlamentar apontou que o Centro Estadual de Recuperação de Pessoas com Dependência Química, na rodovia AM 010 (Manaus-Itacoatiara), Km 53, com capacidade de 200 vagas, a ser inaugurado no próximo mês de março pelo governador Omar Aziz, é uma das conquistas para as mulheres nesse combate à violência. “Muitos pais e mães sofrem com seus filhos dependentes. A droga destrói toda a família e não somente uma pessoa. E esse centro é uma conquista para as famílias do Amazonas”, avaliou.

“Reconhecemos o trabalho realizado pelas igrejas, pelas clínicas conveniadas, mas é importante que o Estado faça esse enfrentamento, oferecendo o tratamento gratuito, pois as pessoas com dependência são reconhecidas legalmente como pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS)”, destacou Conceição Sampaio.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui