AM vai coordenar compra coletiva de medicamentos

Foto: Divulgação/Secom Governo do Pará

O Consórcio Interestadual da Amazônia Legal aprovou a primeira compra coletiva de 37 medicamentos de alto custo, do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (Ceaf), para os nove estados que compõem a região. O projeto, coordenado pelo Secretário de Estado de Saúde (Susam), Rodrigo Tobias, deve gerar uma economia global de 25% para as unidades federativas na compra de medicamentos, assim como reduzir os custos da judicialização da saúde.

O Governo terá a disponibilidade do produto, evitando judicializações para o atendimento de pacientes com doenças crônicas, em tratamento continuado. As compras emergenciais chegam a custar três vezes mais que as aquisições em grande escala, justamente o que o Consórcio possibilitará. “Em 2019, gastamos R$ 6,6 milhões com medicamentos de alto custo. Na compra consorciada, esse valor cairia para R$ 5 milhões”, conta Tobias.

O secretário informa que o Amazonas coordenou a construção do termo de referência e calculou os impactos da compra compartilhada, necessários para o lançamento do primeiro edital do Consórcio.

O projeto “Compras Compartilhadas”, elaborado pelo Amazonas com a colaboração dos demais estados, foi apresentado por Rodrigo Tobias na reunião da Câmara de Saúde do Fórum de Governadores, que é presidida pelo titular da Susam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui