Apoiadores do governo Melo podem influenciar a Esquerda no Amazonas

Carlos Santiago é Sociólogo, Analista Político e Advogado

Os ex-líderes na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas, do ex-governador cassado e preso José Melo, poderão conduzir as estratégias de partidos de esquerda nas eleições gerais de 2018, no Amazonas.

Em 2014, José Melo foi eleito governador, numa eleição com denúncias de compra de votos e de uso da máquina estatal para captação de votos para si e para seus correligionários, o que levou a cassação de seu diploma de eleito pelo Tribunal Regional Eleitoral – TRE-AM, decisão confirmada, em 2017, pelo Tribunal Superior Eleitoral – TSE.

Depois, o ex-governador foi preso pelo envolvimento em desvio de milhões de verbas da área da saúde, numa operação da Polícia Federal denominada “Maus Caminhos”, além de ex-secretários de saúde, seu irmão e sua mulher.

Carlos Santiago é Sociólogo, Analista Político e Advogado

Melo é suspeito de ter cometidos diversos crimes de corrupção, além de causar grandes frustrações administrativas: não pagou a data-base salarial dos professores, dos profissionais da saúde, não fez promoções significativas na Polícia Militar e nem o dinheiro do Fundeb teve transparência devida. Retirou os benefícios fiscais que ajudavam a manutenção da tarifa de ônibus de Manaus e ainda majorou tributos.

Na Assembleia Legislativa do Amazonas, Melo contava com uma bancada bem organizada pelo atual presidente da Casa Legislativa, deputado David Almeida (PSB), com ajuda de outros de deputados como Sabá Reis (PR), Platiny Soares (PSB) e Abdala Fraxe (Podemos), dentre outros. Pedidos de Comissões Parlamentares de Inquéritos para investigar a saúde e o transporte coletivo não prosperaram ou foram arquivados.

Estavam todos no mesmo palanque…

Depois da cassação do governo Melo, o presidente da Aleam assumiu o cargo de governador interino. Com a filiação ao Partido Socialista Brasileiro – PSB, legenda que dava sustentação ao governador José Melo, o presidente da Aleam já é tratado como pré-candidato ao governo do Estado, tendo apoio do deputado Sába Reis, Abdala Fraxe, Plantiny Soares e Serafim Correa, e já vem se articulando para receber apoio do Partido Comunista do Brasil – PCdoB e do Partido dos Trabalhadores – PT.

Acontecendo essa coligação eleitoral nas eleições de 2018, será mais uma demonstração de reinvenção dos políticos e dos partidos para manutenção e conquista do poder. O socialismo agora é a bandeira dos ex-apoiadores do Melo. Assim, o PT deixará de ser o protagonista das esquerdas, como aconteceu nas ultimas duas eleições majoritárias, lançando nomes alternativos aos grupos que dominam a política no Amazonas.

Em 2018, a política amazonense poderá trazer novos cenários e novas composições.

*Por Carlos Santiago – Sociólogo, Analista Político e Advogado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui