Clóvis Barreto critica manobra eleitoreira de Ricardo Trindade

Defensor Clóvis Barreto/Foto: Arquivo

Defensor Clóvis Barreto/Foto: Arquivo

O defensor público Clóvis Barreto criticou, duramente, o que ele classificou como manobra eleitoreira do defensor-público geral, Ricardo Trindade.

Visando a reeleição a frente da instituição, Ricardo Trindade exonerou o subdefensor geral, Ariosto Braga. Para o lugar foi nomeado o defensor Rafael Vinheiro Barbosa.

Para Clóvis Barreto, o ato foi meramente político e eleitoreiro e visa reeleger Ricardo Trindade para o segundo mandato de quatro anos a frente da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE).

Com a eleição em risco devido aos problemas a frente da DPE  e a rejeição entre os colegas, Ricardo Trindade colocou como subdefensor Rafael Barbosa que foi o coordenador do estágio de adaptação dos 61 novos defensores nomeados e empossados pelo governador Omar Aziz no final do ano passado.

A eleição para a DPE está marcada para o próximo dia 24 de janeiro. O colégio eleitoral é formado pelos 30 defensores públicos antigos e de carreira e mais os novos 61 recém-empossados no órgão.

‘É claro que essa nomeação é política e eleitoreira por ter se dado às vésperas da eleição. Com isso o defensor público geral pretende claramente cooptar os votos dos novos defensores e tentar conseguir a reeleição’, afirmou.

Segundo Clóvis Barreto, o defensor-público geral está tão empenhado em se reeleger que até agora não designou os novos defensores para as comarcas nos municípios do interior do Estado. ‘Ele, Ricardo Trindade, quer que os novos defensores permaneçam na capital até a eleição’, denuncia.

Clóvis Barreto classifica a gestão de Ricardo Trindade como ”lenta e inoperante”. Um dos reflexos dessa falta de eficiência é a falta da presença física da Defensoria Pública nos municípios onde não possui qualquer estrutura.

Clóvis Barreto admitiu que é candidato a eleição para Defensor-Geral que acontece no próximo dia 24 de janeiro. Após o resultado, uma lista tríplice com o nome dos três mais votados segue para o governador Omar Aziz nomear seu escolhido:  ‘Nós defensores públicos confiamos no governador Omar Aziz que sempre se mostrou sensível aos pleitos da defensoria e dos defensores tanto que nomeou os novos defensores, coisa que nenhum outro governador fez’, afirma.

No portal da DPE consta que o defensor público Rafael Vinheiro Monteiro Barbosa assumiu o cargo de Subdefensor Público-Geral do Amazonas, na manhã desta sexta-feira, 03 de janeiro de 2014. Ele passa a ocupar a vaga do defensor público Ariosto Lopes Braga Neto, que optou em pedir exoneração por motivos de ordem pessoal que o impediam de conciliar às atribuições da função.

Rafael Vinheiro Monteiro Barbosa é defensor público desde 2003 e estava na direção da Escola Superior da Defensoria Pública do Amazonas (Esudpam), além de atuar como defensor público da 1ª Defensoria Pública Recursal. O defensor é doutorando em Processo Civil pela PUC/SP.

Com a saída do defensor público Rafael Vinheiro Monteiro Barbosa da direção da Escola Superior da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (Esudpam), assume o cargo o defensor público Carlos Almeida Filho, da Defensoria Pública de Ações Coletivas e ex-presidente da Associação de Defensores Públicos do Estado do Amazonas (Adepam).
            

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui