Consumo de tucumã não causou surto de DTA em Manacapuru, informa FVS-RCP

Foto: Maíra Pessoa/FVS-RCP

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) informa, nesta sexta-feira (03/09), que não há evidências de que o consumo de tucumã tenha causado o surto de Doença Transmitida por Alimentos (DTA), registrado na primeira quinzena de julho, na comunidade Irapajé, na zona rural de Manacapuru (a 68 quilômetros a oeste de Manaus).

O resultado da avaliação foi emitido após a realização de análise bromatológica em amostras do fruto, coletadas por equipes da FVS-RCP na comunidade Irapajé; e analisadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/FVS-RCP) para identificar composição, propriedades físicas, químicas, toxicológicas e ação da amostra no organismo humano. A hipótese avaliada era de que a contaminação teria ocorrido devido à manipulação incorreta do alimento.

Nas análises, segundo a diretora técnica da FVS-RCP, Tatyana Amorim, não foi identificada comprovação de que a infecção alimentar tenha ocorrido devido ao consumo do tucumã. “As amostras do fruto foram submetidas a análise para confirmar se a causa do surto de DTA teria ocorrido por ingestão de tucumã, no entanto, não foi encontrado indícios de contaminação no material analisado”, detalha Tatyana.

Controlado – Foram 48 envolvidos no surto de DTA em Manacapuru. De acordo o gerente do Departamento de Vigilância Epidemiológica da FVS-RCP (DVE/FVS-RCP), Alexsandro Melo, o surto é considerado controlado desde o dia 20 de julho, quando não foram registradas notificações de novos casos.

“Foram destacadas equipes técnicas da Vigilância em Saúde para realizar todo o acompanhamento da cadeia de transmissão, com coleta e análise das amostras. A investigação foi minuciosa para descartar seguramente o tucumã como causa do surto”, acrescentou Alexsandro.

DTA – As Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA) são causadas pela ingestão de alimentos e/ou água contaminados por micro-organismos, toxinas ou substâncias químicas. Os sintomas podem incluir náuseas, vômitos, dores abdominais, diarreia, falta de apetite e febre.

A prevenção das doenças transmitidas por alimentos se baseia no consumo de água e alimentos que atendam aos padrões de qualidade da legislação vigente, higiene pessoal/alimentar e condições adequadas de saneamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui