Cupuaçu é destaque em feira de produtos naturais em São Paulo

É a primeira vez que a Sabores de Tradição participa da feira e em dois dias de evento.
Outra inovação (em processo de patente) feita com cupuaçu é a jujuba criada pela empresária Jane Barros.
Outra inovação (em processo de patente) feita com cupuaçu é a jujuba criada pela empresária Jane Barros.

Inovações patenteadas – ou em processo de aquisição de patente –  elaboradas a partir do Theobroma grandiflorum (Cupuaçu) estão sendo exibidas no estande da SUFRAMA na 10ª edição da Naturaltech, Feira Internacional de Alimentação Saudável, Produtos Naturais e Saúde, que começou no último dia 4 e vai até dia 7 de junho, no pavilhão da Bienal do Ibirapuera, em São Paulo.

Entre os produtos que têm mais chamando a atenção dos visitantes estão a jujuba de cupuaçu com mangarataia (gengibre), invenção da empresa Amazon Doces; e o bolo amazônico, criado pela empresa Sabores de Tradição, no qual a massa é feita com a polpa do cupuaçu, substituindo ingredientes como margarina, leite e farinha de trigo.

É a primeira vez que a Sabores de Tradição participa da feira e em dois dias de evento.
É a primeira vez que a Sabores de Tradição participa da feira e em dois dias de evento.

Bolo

O bolo amazônico já foi patenteado e faz sucesso no evento – que tem foco na vida saudável – por não conter glúten, lactose e gorduras trans. Além disso, a mistura possui outros ingredientes amazônicos, como a castanha-do-brasil, o extrato de puxuri e o aroma de cumaru.

É a primeira vez que a Sabores de Tradição participa da feira e em dois dias de evento, além das vendas de unidades para visitantes, já começou a negociar a distribuição do produto (vendido em embalagem de 200 gramas e com validade de dois meses) com empresários interessados em revendê-lo em outros Estados, como Santa Catarina.

O empresário português Jorge Carlos Neves explica que o cupuaçu tem três componentes (um deles a pectina, os outros dois ele não revela) que misturados e combinados obtêm uma formulação ideal para massas de bolo (ou torta). As características físico-químicas e biológicas do cupuaçu são tão singulares que o empresário se tornou especialista em identificar quando a polpa do fruto foi adulterada. “Certa vez nós não estávamos conseguindo produzir o bolo. Repetíamos o processo e não funcionava. Foi quando descobrimos que na polpa de cupuaçu que nos foi vendida haviam acrescentado amido de mandioca para aumentar o volume. Aprendi e, claro, também nunca mais compro daquele fornecedor”, relatou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui