Delatora de Delúbio Soares é condenada e presa por falso testemunho

Repórter de Veja ofereceu R$ 300 mil para testemunha incriminar Delúbio Soares – foto: banco de dados do Google

A testemunha que acusou o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, de ter recebido ‘mala de dinheiro’, no caso do tal de Mensalão, Maria Auxiliadora, o fez por vingança, segundo o Juiz, que a Condenou por Falso Testemunho. Ele foi preso em 2018 por ordem de Moro.

Por causa da denúncia, Delúbio foi preso, humilhado e só agora ele é absolvido e recebe a Declaração de que a Testemunha era Falsa. Causaram danos irreparáveis ao ex-tesoureiro, que na verdade era a vítima do processo. Moro desconsiderou provas e investigação, para condenar o membro do Partido dos Trabalhadores.

Na página 17 da sentença em que condenou Maria Auxiliadora Barbosa Zanin a 8 anos e 11 meses de prisão por falso testemunho, o juiz Alessandro Diaferia traz uma informação interessante.

No auge da campanha sobre o mensalão, Maria Auxiliadora viu uma maneira de se vingar de Eduardo Fischer, em cuja agência de publicidade ela trabalhara e fora demitida.

Inventou uma cena na qual Fischer teria entregue mala de dinheiro para Delúbio Soares e Silvio Pereira, do PT. Informou que junto com ela estava o ex-Ministro Alceni Guerra e Donato Otacílio.

Ouvidos, desmentiram Maria Auxiliadora. Depois, outros depoimentos dela, conflitantes entre si, motivaram sua condenação.

Na página 17, o juiz resume o depoimento de Otacílio com duas informações relevantes. O primeiro, que Maria Auxiliadora lhe ofereceu R$ 100 mil para confirmar sua versão. O segundo, que um repórter da Veja ofereceu R$ 300 mil.

GGN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui