Delatora de Delúbio Soares é condenada e presa por falso testemunho

Repórter de Veja ofereceu R$ 300 mil para testemunha incriminar Delúbio Soares – foto: banco de dados do Google

A testemunha que acusou o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, de ter recebido ‘mala de dinheiro’, no caso do tal de Mensalão, Maria Auxiliadora, o fez por vingança, segundo o Juiz, que a Condenou por Falso Testemunho. Ele foi preso em 2018 por ordem de Moro.

Por causa da denúncia, Delúbio foi preso, humilhado e só agora ele é absolvido e recebe a Declaração de que a Testemunha era Falsa. Causaram danos irreparáveis ao ex-tesoureiro, que na verdade era a vítima do processo. Moro desconsiderou provas e investigação, para condenar o membro do Partido dos Trabalhadores.

Na página 17 da sentença em que condenou Maria Auxiliadora Barbosa Zanin a 8 anos e 11 meses de prisão por falso testemunho, o juiz Alessandro Diaferia traz uma informação interessante.

No auge da campanha sobre o mensalão, Maria Auxiliadora viu uma maneira de se vingar de Eduardo Fischer, em cuja agência de publicidade ela trabalhara e fora demitida.

Inventou uma cena na qual Fischer teria entregue mala de dinheiro para Delúbio Soares e Silvio Pereira, do PT. Informou que junto com ela estava o ex-Ministro Alceni Guerra e Donato Otacílio.

Ouvidos, desmentiram Maria Auxiliadora. Depois, outros depoimentos dela, conflitantes entre si, motivaram sua condenação.

Na página 17, o juiz resume o depoimento de Otacílio com duas informações relevantes. O primeiro, que Maria Auxiliadora lhe ofereceu R$ 100 mil para confirmar sua versão. O segundo, que um repórter da Veja ofereceu R$ 300 mil.

GGN

2 COMENTÁRIOS

  1. Moro é um bandido. Maria Auxiliadora agiu por orientação desse bandido. Logo, esse bandido não pode sair ileso dessa armação, dessa trama assassina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui