Em contagem para a Superliga de Vôlei, fãs planejam como chegar próximo dos ídolos

FOTOS: ANTONIO LIMA/SEJEL

Manaus passou a ser uma das mais empolgantes sedes da Superliga Feminina de Vôlei, evento que na capital amazonense conta com o apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel). E a descentralização do principal campeonato da modalidade no Brasil promete muitas emoções para aqueles que vão conferir na próxima sexta-feira, dia 3 de fevereiro, a disputa entre São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP) x Rexona-Sesc (RJ), às 19h30, na Arena Amadeu Teixeira (Loris Cordovil). Muita gente já planeja como chegar pertinho dos ídolos e garantir selfies, autógrafos e tudo mais que eternize este momento como uma bela lembrança.
Um dos que se prepara para receber de braços abertos mais uma equipe da Superliga é Stanley Pereira e uma turma de amigos do bairro São José, na Zona Leste da capital. Eles, inclusive, já planejam um “bloqueio triplo” em cima da líbero Fabi, do técnico Bernardinho e o restante da equipe carioca.

“Sempre acompanhei a Superliga pela televisão. Fui aos dois últimos jogos em Manaus (São Caetano x Dentil e São Caetano x Nestlé) e agora vou poder acompanhar de perto o Bernardinho, a Fabi, que são dos ícones do vôlei. Mandei fazer um jogo completo de camisas para justamente receber a Fabi e as meninas no aeroporto e no jogo. Vamos tentar fazer foto com elas, guardar de lembrança e, principalmente, na memória”, afirmou Stanley, que é industriário, e confessa o amor pela equipe do Nestlé/Osasco, porém garante que é vira-casaca.

“Sempre fui Osasco – hoje Vôlei/Nestlé – porque o time sempre foi a base da seleção. Porém, gosto do vôlei em geral e da Superliga em Manaus. É uma diversão, uma alegria, um sonho poder conferir todas essas jogadoras aqui. Por isso, neste jogo vou torcer para o São Caetano, mas se o Rexona vencer não vai ter problema. O importante é a oportunidade de ter o melhor evento de vôlei na minha cidade”, afirmou Pereira.
Torcedor do time carioca, o estudante Alysson Santos, de 18 anos, promete gritar forte pelo atual campeão da competição, o Rexona. “Desde criança cresci amando o vôlei. Sou louco pelo vôlei e não perco uma partida por nada. Na primeira vez quando elas vieram para cá, nós ficamos loucos para saber o dia do jogo e tudo mais. Tudo isso para não faltar e perder essa oportunidade de assistir as meninas tão de perto. Vou me preparar para ir ao aeroporto e espero ter uma foto com o Bernardinho, a Fabi, Juciely, Carol. Irei em busca de uma foto e até de algo mais. Elas são sempre bem atenciosas, simples e gostam do nosso carinho”, contou o fã eufórico com a vinda do time.

A terceira integrante da equipe que já garantiu vaga para ver a disputa foi a estudante Letícia Teixeira, 12, que se divide em duas paixões: a ginástica e o vôlei. Aluna da escolinha de ginástica da Vila Olímpica, do Projeto Caixa, a jovem espera pela primeira vez ver as atletas do vôlei bem de perto.

FOTOS: ANTONIO LIMA/SEJEL

“Eu gosto muito de vôlei. Quero entrar um dia na escolinha de vôlei, apesar de fazer ginástica rítmica. Sempre acompanho pela TV, não pude ir para as duas últimas partidas, mas vou estar no próximo jogo”, garantiu a jovem, afiada na escalação das jogadores do time do ABC Paulista e da equipe carioca.

Times

Fruto da parceria mais longa do voleibol brasileiro, o Rexona-Sesc completa sua 19ª temporada. Com a liderança do multicampeão Bernardinho desde o lançamento do projeto, em 1997, no Paraná, e com o talento de suas jogadoras, a equipe tornou-se a mais vitoriosa da história do voleibol brasileiro. Ao longo de todos esses anos foram conquistados onze títulos da Superliga (97/98, 99/00, 05/06, 06/07, 07/08, 08/09, 10/11, 12/13, 13/14, 14/15 e 15/16), três Sul-Americanos (13, 15 e 16) e 13 Estaduais, os últimos 12 consecutivos. A equipe também é bicampeã do Top Volley Internacional, na Suíça, tricampeã da Salonpas Cup e vice-campeã mundial de clubes (2013).

Essa é a terceira vez que a equipe do São Caetano vai vir à capital amazonense. Dos dois jogos, a equipe ainda não conseguiu pontuar por aqui e agora a meta vai ser sair da terrinha baré ‘virando o jogo’. O time é comandado pela sexta temporada consecutiva pelo treinador Haírton Cabral e o grupo passou por mudanças e conta com a experiente levantadora Diana com as atacantes Angélica e Nikolle e a central Andressa.

FOTOS: ANTONIO LIMA/SEJEL

Ingressos

O ingresso para São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP) x Rexona-Sesc (RJ) tem valor único de R$30 (arquibancada superior), R$50 (arquibancada inferior), R$100 (área vip). Os valores correspondem para os já beneficiários de meia-entrada (idosos, terceira idade, estudantes, PCDs) e o público em geral mediante a 1 kg de alimento não perecível. Aqueles que na hora da compra não apresentarem o alimento pagam inteira. Toda a arrecadação será doada posteriormente.

A venda no único ponto físico, na Arena Amadeu Teixeira, vai de 9h às 18h, em todos os dias da semana e aos sábados. O público ainda tem a opção de realizar a compra também pelo site http://www.guicheweb.com.br/. Os bilhetes poderão ser adquiridos no dinheiro ou cartão de crédito.

Ingressos/ Valores

Arquibancadas Superior
Preço único de R$30

Arquibancada Inferior
Preço único de R$50

Entradas VIP (cadeira)
Valor: R$100

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui