Frederico Paiva é a ‘réplica do Dallagnol’, em Brasília – por Jailton Andrade

procurador do MPF-BSB Frederico Paiva - foto: recorte/arquivo

Frederico Paiva é aquele que já tinha pedido há 2 semanas para que, pelo amor de Deus, não estendesse a suspeição do juizeco para a ação de Lula no DF.

Nas madrugadas entre tutoriais de Power Point e pesquisas sobre fama, o procurador do MPF-BSB Frederico Paiva estudou 130 denúncias, 209 acordos de colaboração, 1.450 buscas e apreensões, 723 pedidos e cooperação internacional e, em 3 meses, chegou à conclusão de que “em razão do extenso lastro probatório” qualquer procurador poderia subscrever novamente a denúncia [contra Lula] e que não há nulidade a “ser reconhecida nesse momento”. Ele fala da denúncia de Dallagnol combinada com o ex-tudo Sérgio Moro na justiça federal de curitiba (caixa baixa mesmo).

Frederico Paiva é aquele que já tinha pedido há 2 semanas para que, pelo amor de Deus, não estendesse a suspeição do juizeco para a ação de Lula no DF. Aquele procurador que a Justiça Federal de Brasília considerou inepto em tentar jogar nos peitos de Lula uma pilantragem envolvendo o CARF – Conselho Administrativo de Recursos Fiscais, a FORD e outros, sobretudo porque “não se descreveu completamente a conduta de cada um dos réus e a participação de cada um no evento”. A operação Zelotes apurava o desvio de R$ 19 bilhões, mas só interessava os R$ 6 bilhões que, segundo o próprio MPF, teria sido repassado para Lula. Provaram a movimentação da grana, mas como não foi para Lula, não vem mais ao caso.

Agora como pode a exegese distorcer a realidade dos fatos? Se Moro foi considerado suspeito por ter, com Dallagnol, agido na calada da noite e combinado a denúncia contra Lula, não poderia ser anulado apenas o processo. A denúncia também está envenenada! O problema é que, no STF, pelo que percebi, não foi enfrentada a questão da suspeição do MP prevista no art. 104 do Código de Processo Penal. Com isso, a denúncia envenenada de Dallagnol, como ficou claro, vai ser usada pelo Dr. Fred para pegar um atalho e adiantar uma nova condenação de Lula, se a Justiça Federal do DF deixar.

Tudo isso porque Frederico Paiva, o Dallagnol BSB, não votará em Lula e não quer que ninguém vote, com o  apoio da ANPR de Melina Fachin

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui