Fucapi pode ser transformada em instituto federal

Mec e MPE trataram de medidas para solucionar problemas da Fucapi em reunião (Foto: Divulgação/MPE-AM)

Representantes do Ministério da Educação e do Ministério Público do Amazonas (MPE-AM) se reuniram para tratar da situação da Fundação Centro de Análise Pesquisa e Inovação (Fucapi), nesta segunda-feira (23), em Manaus. Uma força-tarefa será criada entre os órgãos para buscar uma solução para a instituição, que corre risco de encerrar as atividades por problemas financeiros. O MEC não descarta a possibilidade de federalização da Fucapi.

O procurador-geral de Justiça do MPE-AM, Fábio Monteiro, e o ministro da Educação, Rossieli Soares, se reuniram pela manhã. A proposta que será analisada na força-tarefa é a transformação da Fundação em um instituto federal de pesquisa e capacitação.

“O Ministério da Educação manifestou interesse de apoio na busca de uma solução para caso da Fucapi, que é uma instituição tão importante para o estado do Amazonas. O MEC vai fazer uma força-tarefa para buscar uma solução, junto ao MPE e lideranças do estado, para dar não só mais segurança e conforto aos alunos que lá estão estudando, mas também para o futuro do Amazonas, pela formação que se tem”, disse o ministro Rossieli Soares.

Segundo o procurador-geral do MPE-AM, existe uma preocupação do que acontecerá com os alunos, professores e a estrutura da instituição, que tem tecnologia e laboratório para formação de profissionais que atuam nas empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM).

Mec e MPE trataram de medidas para solucionar problemas da Fucapi em reunião (Foto: Divulgação/MPE-AM)

“Em um primeiro momento, um empresário se colocou demonstrando interesse, mas acabou ficando claro que não tinha lastro o suficiente para ficar a frente. Houve tratativas com o ministro da Educação que entrou em contato comigo, colocando o Ministério da Educação à disposição, inclusive com a possibilidade de federalizar o instituto e perguntando o que Ministério Público achava”, contou Fábio Monteiro.

Na reunião, ele contou que o grupo de trabalho da força-tarefa, que deve iniciar nesta terça-feira (24), contará ainda com representantes da Superintendência da Zona Franca de Manaus e do Instituto Federal do Amazonas (Ifam).

“Todos estão envolvidos com interesse na questão, para que possamos ter uma alternativa concreta e imediata, ainda que seja para desmembrar [a Fucapi]”, completou Monteiro.

Crise

A Fucapi tem dívidas trabalhistas e enfrenta problemas para pagar professores e funcionários da instituição. As dívidas são estimadas em R$ 150 milhões.

Em abril deste ano, após a crise instalar na instituição, uma empresa amazonense assumiu o controle da Fucapi. Porém, há uma semana, a juíza de direito titular da 10ª Vara Cível e de Acidentes do Trabalho, Mônica Cristina Raposo da Câmara Chaves do Carmo, decidiu afastar a empresa e determinou a realização de uma auditoria na Fucapi.

As medidas foram tomadas em audiência de conciliação, realizada no dia 18 de julho de 2018, com a presença de representantes da Fucapi, da empresa e do Ministério Público.

A juíza deve definir quem e como será realizada a auditoria externa, que deve ser concluída no prazo de 60 dias. O objetivo é constatar a atual situação financeira da fundação e analisar os procedimentos possíveis e permitidos em lei, rumo ao seguimento das atividades que representem os objetivos sociais da instituição.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui