IRB, Hapvida e Movida lideram perdas nesta manhã (22)

Foto: recorte/ilustração/redes sociais

A alta de 75 pontos base da taxa de juros dos Estados Unidos e o recado do Fed de que as taxas continuarão altas por mais tempo ainda reverberam nos mercados internacionais.

No âmbito corporativo destaque para a aquisição de uma empresa em Portugal pela Movida e para a decisão do TCE do Amazonas, que suspendeu contrato de prestação de serviços da Hapvida para o governo do Estado.

Atenção ainda para os dados financeiros de julho divulgados pelo IRB.

Para o economista-chefe da Nova Futura, Nicolas Borsoi, o dia é de ressaca nos mercados, com os investidores digerindo o ambiente de juros mais altas e falas duras das autoridades monetárias ao redor do globo. “Por aqui, apesar da manutenção da taxa Selic, o mercado deve repercutir o texto mais hawkish do Copom, especialmente os juros de curto prazo, que devem ter dia altista. Apesar disso, o Ibovespa deve recuperar parte das perdas de ontem, apoiado pelas commodities e, principalmente, a performance positiva dos índices americanos”, avalia.

Hoje os contratos futuros do petróleo exibem alta, em recuperação técnica após caírem aos menores níveis em duas semanas na sessão anterior. O minério também exibe recuperação, o contrato futuro mais negociado na Bolsa de Dalian, com alta de mais de 3%, chegando a US$ 101,45.

E apesar da manutenção da taxa de juros brasileira em 13,75%, o que impacta diretamente no custo de capital das empresas, ainda vale a pena investir em Bolsa, avalia a XP. “Na nossa opinião, o Brasil continua com um desempenho superior relativo aos mercados globais em grande parte por conta dos níveis de valuation ainda bastante atrativos, destaca o estrategista-chefe da corretora, Fernando Ferreira, em relatório assinado em conjunto com Jennie Li e Rebecca Nossig. Eles calculam que o Preço/Lucro (P/L) projetado para o Ibovespa atualmente está em 6,2 vezes, um desconto de 44% em relação à média dos últimos 15 anos, de 11,2 vezes.

Movida

A Movida anunciou a aquisição de 100% da Drive on Holidays (DOH), empresa de locação de veículos com sede em Portugal, avaliada em 66 milhões de euros (enterprise value). Considerando a dívida líquida de 11 milhões de euros em agosto de 2022, isso resultou em um equity value de 55 milhões de euros.

A Movida informa que 52,5 milhões de euros foram pagos nesta data aos vendedores e 2,5 milhões foram retidos para eventuais indenizações. Todos os ativos da empresa compõem a transação, inclusive a sua frota, avaliada em aproximadamente 60 milhões de euros, além de dois imóveis operacionais avaliados em 3,5 milhões de euros.

Em comunicado, a Movida afirma que, em linha com o planejamento estratégico de realizar movimentos internacionais que não comprometam o desenvolvimento da Movida no Brasil e que sejam complementares e sinérgicos, a transação marca o início da internacionalização da empresa e a entrada na Europa, especialmente em uma região em que a companhia terá a oportunidade de servir os atuais clientes.

Hapvida

O TCE do Amazonas atendeu pedido de medida cautelar para suspensão do contrato de prestação de serviços da Hapvida para o governo do Estado, no valor total de R$ 87,7 milhões, apurou a Coluna do Broadcast. A operadora foi contratada para oferecer o plano de saúde a 15 mil professores e outros servidores da Secretaria de Educação, na capital e no interior do Amazonas. A representação afirma que a Hapvida não teria cumprido regras do contrato de cobertura, o que a companhia nega. Mesmo sem o pagamento, a empresa não poderá suspender a execução dos serviços por 90 dias.

IRB Brasil Re

O IRB registrou prejuízo líquido de R$ 58,9 milhões em julho de 2022, ante perdas de R$ 97,6 milhões na comparação com igual mês de 2021. No acumulado dos primeiros sete meses de 2022, o prejuízo líquido foi de R$ 351,7 milhões, contra um prejuízo de R$ 253,7 milhões na mesma base de comparação.

O prêmio emitido totalizou no mês R$ 1,348 bilhão, alta de 15,6%, e as despesas com sinistro somaram R$ 535,4 milhões, alta de 16,7%, com índice de sinistralidade de 91,4%, ante 107,8% um ano antes.

Petrobras

O conselho de administração da Petrobras aprovou o encerramento antecipado do mandato de Juliano de Carvalho Dantas como diretor-executivo de Transformação Digital e Inovação. Na mesma data, elegeu Paulo Palaia Sica para o cargo.

Construtoras

As contratações de financiamento dentro do Casa Verde e Amarela com recursos do FGTS mantiveram a trajetória de recuperação em setembro. Até o dia 20, as contratações estão com desempenho similar ao de agosto, quando atingiram R$ 7,2 bilhões – o que foi equivalente a um crescimento de 45% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Os números, ainda parciais, foram antecipados ao Broadcast  pela vice-presidente da habitação da Caixa Econômica Federal, Henriete Bernabé.

Na mesma entrevista, a executiva afirmou que a Caixa acredita que a tendência da Selic no ano que vem é de queda. Entretanto, não descarta uma possível alta nas taxas do financiamento que utiliza recursos da poupança, se for necessário qualquer reequilíbrio.

MRV e CCR

A MRV Engenharia informou que a Velt Partners Investimentos realizou vendas de ações ordinárias da companhia e passou a deter 24.121.700 ações, equivalentes a 4,99% dessa classe de papel, ante participação anterior de 5%.

Na CCR, a BlackRock passou a deter 98.102.745 ações ordinárias, que representam uma participação de aproximadamente 4,856%, e 6.496.398 instrumentos financeiros derivativos, equivalentes a 0,321%.

3R Petroleum

A 3R Petroleum comunicou que a Schroder Brasil alterou a participação acionária no capital social da companhia, passando a ser de 10.459.632 ações ordinárias de emissão, equivalente a aproximadamente 5,16% do total.

Já o BTG Pactual reduziu de 5,10 para 3,68% sua participação no capital social da 3R, passando a deter 7.458.568 ações ordinárias de emissão da companhia.

Por: Beth Moreira
Contato: [email protected]

*Com colaboração de Marcia Furlan

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui