Mais de 74 toneladas de Carbono foram emitidas no Réveillion/15

...e todos devem participar dessa tarefa/Foto: Ingride Anne

Plantiod e mudas será feito durante o ano/Foto: Ingride Anne
Plantiod e mudas será feito durante o ano/Foto: Ingride Anne
...e todos devem participar dessa tarefa/Foto: Ingride Anne
…e todos devem participar dessa tarefa/Foto: Ingride Anne

Será processado em Manaus, o plantio de 1,5 mil mudas para compensar, especificamente, a emissão de gases de efeito estufa durante a festa do Réveillon 2015.
O resultado dos cálculos realizados pela Divisão de Planejamento e Acompanhamento de Projetos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), com base nas atividades emissoras de gases de efeito estufa durante a festa, apontou para um total de 74,01 toneladas de Dióxido de Carbono equivalente (tCO2e) emitidos para a atmosfera pelo evento. Após quantificar as atividades emissoras da festa, a Semmas partirá para a compensação das emissões com o plantio das mudas arbóreas na cidade de Manaus, que deverão levar pelo menos dois anos para sequestrar o Dióxido de Carbono emitido.

“Se a opção fosse conservar uma área de floresta madura em pé, onde um hectare de floresta na região de Manaus é capaz de sequestrar 2,82 tCO2e em um ano, precisaríamos conservar aproximadamente 27 hectares”, afirma a secretária municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Kátia Schweickardt, ressaltando a importância simbólica da iniciativa pioneira da Carboneutralização do Réveillon, que passará a ser feita anualmente.

Segundo a secretária Kátia Schweickardt, o plantio das 1,5 mil mudas deverá ser realizado pelo Departamento de Arborização e Paisagismo (Deap) da Semmas em áreas aptas a receber as novas árvores. Entre os locais previstos, estão as áreas de intervenção do Prourbis e do Prosamim, a exemplo das margens do Igarapé do Franco, no Santo Antônio e São Raimundo, zona Oeste.

O cronograma de atividades para a realização do plantio está sendo elaborado pelo Deap. As mudas referentes à compensação se somarão as cerca de 10 mil que deverão ser plantadas na cidade durante o ano, com as ações de requalificação urbanística realizadas pela Prefeitura de Manaus. “As mudas propiciarão vias arborizadas e serviços ambientais como o conforto térmico, sombra, redução poluição sonora e do ar, abrigo para fauna, embelezando a cidade e melhorando a qualidade de vida de sua população”, afirmou.

Compensação

O Réveillon 2015 na capital amazonense foi comemorado em três diferentes zonas da cidade, com público de mais de 180 mil pessoas. Segundo o chefe da Divisão de Planejamento e Acompanhamento de Projetos da Semmas, Lucas Ourique, responsável pelos cálculos, uma festa deste porte gera impacto ambiental que pode ser estimado pelas atividades que emitem gases de efeito estufa para a atmosfera. “As atividades relacionadas à festa com potencial de emissão de gases de efeito estufa foram monitoradas e quantificadas para que pudéssemos fazer a compensação ambiental, por meio do plantio de mudas, que depois de plantadas, irão crescer e sequestrar CO2 presente na atmosfera em sua biomassa”.

A estimativa do carbono emitido para a atmosfera nas atividades da festa foi calculada em função da geração de resíduos, o combustível consumido pelos geradores de energia elétrica, os deslocamentos em viagens aéreas e o movimento do público nos ônibus destinados especialmente para a festa.

Conforme dados repassados pela Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp), a coleta de resíduos ao fim do evento totalizou 26 toneladas. Dos resíduos, uma parte foi depositada no aterro e outra foi destinada para a reciclagem, sendo estes desconsiderados da contabilidade das emissões. A estimativa é que os resíduos depositados no aterro municipal emitirão 7,56 toneladas de Carbono equivalente (tCO2e).

Em relação à geração de energia por meio de geradores, foram consumidos aproximadamente dois mil litros de diesel para o funcionamento dos equipamentos. Estima-se que foram emitidos 5,53 tCO2e para a atmosfera para gerar a energia das festas. O transporte aéreo de passageiros trazidos de três capitais brasileiras – Salvador, Rio de Janeiro e Belo Horizonte – para a festa gerou 44,64 tCO2e, calculados a partir do quantitativo de pessoas e os deslocamentos feitos

Outro item verificado foi o transporte rodoviário. Para o cálculo foi utilizado o número de ônibus destinados especialmente para o transporte da população para a festa. Neste caso, 120 ônibus fizeram o traslado, partindo de diferentes zonas da cidade, emitindo 16,28 tCO2.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui