MEC corta mais de R$ 600 milhões de colégios e universidades federais

Fonte: Reprodução/unb

As instituições federais de ensino perderam, juntas, mais de R$ 600 milhões do orçamento discriminado em junho, anunciaram a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) e o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).

As universidades tiveram um corte de R$ 217 milhões nesta sexta-feira, 24, e R$ 220 milhões no começo do mês, enquanto os colégios da rede federal perderam R$ 92 milhões e outros R$ 92 milhões no começo do mês. Somados, os cortes em universidades totalizam R$ 619 milhões.

O orçamento discriminado é aquele que o governo federal consegue cortar porque não são gastos obrigatórios, como salários e aposentadorias. A verba é fundamental para o funcionamento das instituições de ensino, pois é com ela que se paga contas de água, luz, segurança e manutenção, além de investimentos em pesquisa, bolsas e auxílios a estudantes carentes.

“Foram retirados recursos que impactam em todas as nossas ações: a manutenção das nossas escolas, a realização de atividades de pesquisa, de ensino, de extensão, de assistência estudantil, que garantem a permanência e êxito dos nossos estudantes”, afirma Cláudio Alex Jorge da Rocha, presidente do Conif e reitor do IFPA.

Brasil247

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui