Merenda escolar será reforçada com espécies nativas de cada região

Estudantes terão alimentos saudáveis e com a possibilidade de plantar na escola e fazer uma merenda com produtos tradicionais - foto: divulgação

Foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) no dia 10 de julho, a Portaria Interministerial nº 284, com lista de espécies da sociobiodiversidade para fins de comercialização in natura ou de seus produtos derivados.

A medida contribuirá para ampliar o conhecimento e a promoção do uso sustentável dessas espécies serão incluídas no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e na Política de Garantia de Preços Mínimos para os Produtos da Sociobiodiversidade (PGPMBio).

Estudantes terão alimentos saudáveis e com a possibilidade de plantar na escola e fazer uma merenda com produtos tradicionais – foto: divulgação

Alimentação Escolar pode agregar os produtos da sociobiodiversidade, valorizando a produção regional, resgatando hábitos e culturas alimentares, fortalecendo as comunidades tradicionais, e diversificando a alimentação nas escolas, na perspectiva da Segurança Alimentar e Nutricional.

Ficam definidas como espécies nativas da sociobiodiversidade brasileira com valor alimentício as seguintes: 

Abacaxi, abiu, açaí, amendoim, amora preta, araticum, araçá, araçá-boi, araçá-pera, aroeira-pimenteira, arumbeva, babaçu, bacaba, bacupari, bacuri, baru, beldroega, biribá, buriti, butiá, cacau, cagaita, caju, caju-do-cerrado, Cambuci, cambuí, camu-camu, cará-amazônico, castanha-do-pará, chicória-de-caboclo, chichá, coquinho-azedo, crem, croá, cubiu, cupuaçu, erva-mate, fisalis, gabiroba, goiaba, grumixama, guabiroba, guaraná, gueroba, jabuticaba, jambu, jaracatiá, jatobá, jenipapo, juçara, jurubeba, licuri, macaúba, major-gomes, mandacaru, mandioca, mangaba, mangarito, maracujá, mini-pepininho, murici, ora-pro-nobis, patauá, pequi, pera-do-cerrado, pinheiro-do-paraná, pitanga, pupunha, puxuri, sapota, sete-capotes, taioba, tucumã, umari, umbu, taperebá, urucum, uvaia e uxi.

Produtores rurais

A divulgação dessa lista é importante para despertar aos produtores rurais o mercado aberto para comercialização e a inclusão de novas espécies, entre elas algumas Plantas Alimentícias Não Convencionais -PANC, como ora-pronóbis, taioba, cubiu, puxuri, sapota, camu-camu, araçá-boi, chicória-de-caboclo, jambu, jurubeba,, mini-pepininho, murici, uxi e ainda faltou incluir outras, que poderão ser incluída nas próximas portarias.

Está em andamento o projeto piloto em Manaus para inclusão de PANC na merenda escolar em parceria com o INPA sob a coordenação da pesquisadora Dra Dionisia Nagahama, que tem tido o desafio de organizar as hortas escolares com essas plantas e depois incluir no cardápio da alimentação escolar. Essa portaria só reforça o projeto e a possibilidade de expansão.

Existe alguns pratos feitos à base de PANC: patês verdes (e.g., jambu, urtiga, bertalha), geleias e doces diversos (cubiu, medula do mamoeiro), sucos verde (ora-pro-nóbis, nopal), frisante (e.g., cubiu, mangarataia-do-brejo), saladas mistas (beldroega, ora-pro-nóbis, bertalha, espinafre amazônico) e urtiga à dorê e outros.

Para a merendeira da Escola Estadual Marechal Hermes e Ecogastronôma Luizi Viana, a inclusão dos alimentos da sociobiodiversidade e de algumas PANC na merenda escolar é uma avanço, pois, introduz desde cedo aos estudantes um alimento saudável e com a possibilidade de plantar na escola e fazer uma merenda com produtos frescos e tradicionais, regatando os hábitos e alimentares regionais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui