Morre PM que estava em aeronave que caiu na Baía de Guanabara

Foto: Divulgação

Morreu um dos policiais militares que estava no helicóptero que caiu na Baía de Guanabara, no trecho perto do entroncamento da Linha Vermelha com a Avenida Brigadeiro Trompowski, na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio. O sargento Felipe Marques Queiroz, de 37 anos, ficou tempo demais submerso e engoliu muita água. Ele chegou a ser reanimado e seguiu para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio, mas não resistiu.

O helicóptero Fênix da PM tinha quatro tripulantes. Os outros três — identificados como major Alves, major Albuquerque e sargento Morais — estão no HCPM e, segundo informou a corporação, estão fora de perigo. A aeronave é do Grupamento Aeromóvel (GAM) e estava fazendo um reforço no patrulhamento na Linha Vermelha.

O sargento estava na corporação 14 anos e deixa três filhos.

‘Manutenção regularizada’, diz PM

Em nota, a Polícia Militar informou que o helicóptero que caiu estava com a manutenção regularizada e que o acidente será alvo de uma apuração aberta pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão da Aeronáutica:

“A Secretaria de Estado de Polícia Militar informa que uma aeronave do Grupamento Aeromóvel (GAM) sofreu uma queda na Baía de Guanabara, nas proximidades da Ilha do Governador, na manhã desta segunda-feira (14/01).00:38

O helicóptero Fênix 08 com quatro policiais militares sobrevoava a região reforçando o patrulhamento na Linha Vermelha. Durante o monitoramento aéreo da via, houve necessidade de fazer um pouso forçado na água. O GAM e o Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) fizeram operação de resgate e socorro dos tripulantes, que estão sendo encaminhados para o Hospital Central da Polícia Militar.

A aeronave Esquilo Modelo H-350 BA estava com manutenção regularizada. O acidente será apurado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). O Centro de Criminalística da Polícia Militar também acompanhará a apuração”.

Foto: Divulgação

Cenipa coleta dados sobre o acidente

O Cenipa informou que investigadores do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA III) já iniciaram a apuração do acidente. Neste primeiro momento, as equipes fotografam cenas, retiram partes da aeronave para análise, reúnem documentos e ouvem relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos.

A investigação tem por objetivo prevenir que novos acidentes com as mesmas características ocorram. Em nota, o órgão — ligado à Aeronáutica — informou que “a conclusão de qualquer investigação conduzida pelo CENIPA terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade do acidente”.

Fonte: Extra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui