Órgãos ambientais e de segurança alinham estratégias para a Operação Curuquetê 2

Foto: Jamile Alves/Sema

Os sistemas estaduais do Meio Ambiente e de Segurança Pública do Amazonas estiveram reunidos, para alinhar as estratégias de atuação para a nova etapa da Operação “Curuquetê 2”. A ação foi deflagrada pelo Governo do Amazonas no início de junho, para reforçar o combate ao desmatamento ilegal e às queimadas não autorizadas no estado.

O encontro ocorreu na sede do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na zona centro-sul de Manaus. Na ocasião, o secretário de Estado do Meio Ambiente, Eduardo Taveira, apresentou aos órgãos envolvidos na operação um panorama da situação de desmatamento e queimadas no Amazonas, a partir da análise de dados do monitoramento geoespacial realizado pela Sema.

Em junho, o Amazonas apresentou uma redução de 12% dos alertas de desmatamento, em relação ao mesmo mês do ano anterior. Para a segunda etapa da operação, o foco das ações estará concentrado, sobretudo, no combate às queimadas, que tendem a aumentar com o início do período de estiagem, conforme explica o secretário-adjunto de Planejamento e Gestão Integrada, coronel Hermes Macêdo.

Foto: Jamile Alves/SemaCom a tendência de aumento no número de focos de calor, o Corpo de Bombeiros deverá contar com maior efetivo em campo, segundo o secretário adjunto da Defesa Civil e comandante dos Bombeiros do interior, tenente-coronel Clóvis Araújo.

Multas e processos criminais – A segunda etapa da Operação “Curuquetê 2” também contará com uma sistematização das informações de multas aplicadas pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam). De acordo com a delegada Carla Biaggi, titular da Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente (Dema), a proposta é fazer com que mais autores de desmatamentos e queimadas ilegais passem a responder criminalmente pelas práticas.

Mais recursos – O combate ao desmatamento e às queimadas terá ainda o suporte financeiro de R$ 30 milhões, repatriados no âmbito da Operação Lava Jato e repassados ao Amazonas.

“Nós estamos bem animados pela aprovação de uso dos recursos do Fundo Petrobras pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz-AM). Parte desse montante vai para o Sistema de Segurança Pública, também para melhorar a qualidade do trabalho, em especial dessas forças que vão estar atuando nas pontas”, completou o secretário Eduardo Taveira, ao afirmar que parte do dinheiro deve ser direcionado para a contratação de mais brigadistas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui