PL propõe implantação de coleta seletiva do lixo eletrônico e tecnológico em Manaus

Coleta seletiva do lixo eletrônico e tecnológico em Manaus - Foto: Robervaldo Rocha

Vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM) aprovaram parecer favorável da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), ao Projeto de Lei (PL) 199/2018, que pretende implantar Coleta Seletiva de Lixo Eletrônico e Tecnológico em Manaus. O projeto, de autoria do vereador Jaildo dos Rodoviários (PCdoB), segue para Comissão de Finanças, Economia e Orçamento (CEFEO).

Jaildo dos Rodoviários, informou que o PL tem como principal objetivo organizar, recolher, transportar e dar correta destinação ao lixo eletrônico e tecnológico. Segundo ele, com o avanço da tecnologia, existe um excesso de lixo eletrônico que é descartado de maneira incorreta, causando impactos negativos ao meio ambiente.

São considerados lixo eletrônico e tecnológico, computadores, celulares, tablets, torradeiras, televisões, pilhas, baterias, impressoras, teclados, mouses e outros.

O vereador também destaca que para que a lei seja cumprida, será elaborado um calendário e cronograma para o recolhimento desse lixo. “Inicialmente, estamos prevendo que o recolhimento do material seja feito a cada três meses. Esse prazo poderá ser reduzido, de acordo com a demanda, ou estendido, desde que não ultrapasse o prazo máximo de quatro meses” destacou.

Conforme dados da Organização das Nações Unidas (ONU) mais de 40 milhões de toneladas de lixo eletrônico e tecnológico são descartados incorretamente em todo o mundo. No Brasil, o descarte anual está em torno de 97 mil toneladas métricas de computadores; 2,2 mil toneladas de celulares e 17,2 mil toneladas de impressoras. Em 2014, a ONU declarou que o Brasil produziu 1,4 milhão de toneladas de lixo eletrônico.

Coleta seletiva do lixo eletrônico e tecnológico em Manaus – Foto: Robervaldo Rocha

O empresário Alessandro Dinelli, da Descarte Correto, empresa especializada em coleta e beneficiamento de lixo eletrônico, que atua no mercado há mais de dez anos, acha louvável e apoia a iniciativa do vereador. Ele disse, que o projeto é de grande relevância para o Amazonas e ressaltou que a empresa está de portas abertas para conversar com o parlamentar em relação ao reaproveitamento e reciclagem do lixo.

“Ao invés desse material ficar abandonado nos lixões, ruas e até igarapés, ele pode ser recuperado e encaminhado para associações, município do interior , transformando pessoas e comunidades. A população será a maior beneficiada”, disse o empresário.

Alessandro Dinelli explica que a empresa atua dentro da logística reversa, visando o reaproveitamento ou descarte apropriado de materiais e a preservação ambiental. Ou seja, o que era lixo eletrônico volta a ser uma ferramenta de educação e inclusão, por meio da reutilização.

“Alguns computadores nós conseguimos recuperar totalmente. A cada vinte computadores recuperamos, nossa equipe instala um computador em Centros Profissionalizantes de comunidades carentes”, concluiu.

A empresa trabalha em dezesseis comunidades de Manaus e nos municípios de Manicoré, Maués, Parintins e Novo Airão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui