Prefeitos eleitos se comprometem a priorizar políticas para infância e juventude

Barco de transportes na Amazônia - foto: divulgação

Sete prefeitos eleitos do interior do Amazonas assinaram o Termo de Compromisso pela Infância e Juventude resultado da campanha do Ministério Público do Amazonas (MPAM), por intermédio do Centro de Apoio Operacional à Infância e Juventude (CAO-IJ).

Eles se comprometeram a destinar recursos para garantir o fortalecimento das políticas públicas, mediante absoluta prioridade, destinadas ao atendimento da população infanto-juvenil dos seus respectivos municípios.

Assinaram os termos os prefeitos eleitos: Frank Luiz da Cunha Garcia (Parintins), com o MPAM representado pela Promotora de Justiça Eliana Leite Guedes do Amaral; João Medeiros Campelo (Itamarati), com o Promotor Caio Lúcio Fenelon Assis Barros; Jocione dos Santos Souza (Novo Aripuanã), com a Promotora Jarla Ferraz Brito; Marco Antônio Lise (Apuí), com atuação do Promotor Gabriel Salvino Chagas do Nascimento; Paulo Ruan Portela Matos (Envira), com a atuação da Promotora Priscila Carvalho Pini; José Cidinei Lobo do Nascimento (Humaitá), com atuação do Promotor Rodrigo Nicoletti e Edson de Paula Rodrigues Mendes (Barcelos), com a atuação da Promotora Karla Cristina da Silva Sousa.

Além desses municípios, mais quatro prefeitos eleitos se comprometeram a assinar o documento: Gean Campos de Barros (Lábrea), onde atua o Promotor Sylvio Henrique Lorena Duque Estrada; Beto D’angelo (Manacapuru), com a atuação da Promotora Lilian Nara Pinheiro de Almeida; Eraldo Trindade da Silva (Boa Vista do Ramos), onde atua a Promotora Lilian Nara Pinheiro de Almeida e Jair Aguiar Souto (Manaquiri), onde atua o Promotor Flávio Mota Morais Silveira.

“O Ministério Público do Estado do Amazonas por meio de seus Membros em cada município e da Coordenadoria da Infância e Juventude reitera o convite a todos os prefeitos para firmarem o Termo de Compromisso na certeza que a Infância e Juventude é e sempre será prioridade para toda administração comprometida com uma sociedade mais justa e fraterna”, completou a Promotora de Justiça, Vânia Marinho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui