Preso o 3° participante da tragédia de Suzano

Terceiro suspeito de participação em massacre é levado ao Fórum de Suzano - Foto: Divulgação

O terceiro adolescente, de 17 anos, suspeito de ter participado do planejamento do massacre na escola estadual Raul Brasil, em Suzano, na região metropolitana de São Paulo, na quarta-feira (13), foi levado para o Fórum de Suzano, por volta das 11h desta sexta-feira (15).

Policiais cumpriram mandado de busca e apreensão na casa do adolescente nesta manhã, após determinação da Justiça. O jovem foi levado pela polícia acompanhado da mãe durante o trajeto. No momento, ele é ouvido por promotores do Ministério Público. A partir do depoimento concedido, será decidido se haverá internação.

Em virtude das determinações do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), o processo tramita em segredo de Justiça.

Terceiro suspeito de participação em massacre é levado ao Fórum de Suzano – Foto: Divulgação

Planejamento do massacre

Um adolescente, de 17 anos, participou da elaboração do massacre que ocorreu na escola estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, a 50 km de São Paulo, na quarta-feira (13), de acordo com o Delegado-Geral da Polícia Civil de São Paulo, Ruy Ferraz Fontes.

Em entrevista coletiva dada no final da quinta-feira (14), Fontes disse que o adolescente, que estudou com o atirador Guilherme Monteiro, participou da organização do ataque. O delegado, no entanto, não deu mais detalhes da participação do jovem, mas disse que o mesmo “pode ser apreendido a qualquer momento”.

Na quarta-feira (13), os jovens Guilherme Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25, dispararam mais de 30 vezes na escola Raul Brasil. No local, duas funcionárias e cinco alunos morreram. Antes disso, Guilherme foi a uma locadora de veículos, onde um tio dele é proprietário, e também o vitimou. Depois do ataque, a dupla cometeu suicídio.

De acordo com a Polícia Civil, Guilherme havia sido demitido da locadora por possíveis furtos em carros de clientes, mas o delegado reconheceu que não “é possível afirmar ainda o motivo de ter matado o tio”. No local, o proprietário João Antônio Moraes foi atingido por três disparos, fora socorrido e encaminhado para um hospital da região, mas não resistiu aos ferimentos.

Em seguida, os autores se dirigiram para a escola. Estacionaram um carro Chevrolet Onix Branco em frente ao local. Atiraram contra a coordenadora Marilena Ferreira Vieira Umezo, de 59 anos, e, depois na funcionária Eliana Regina de Oliveira Xavier, de 38. Depois, cinco alunos também foram vítimas dos jovens. São eles: Kaio Lucas da Costa Limeira, 15, Claiton Antônio Ribeiro, 17, Caio Oliveira, de 15, Samuel Melquíades Silva de Oliveira, 16, e Douglas Murilo Celestino, 16.

A falta de reconhecimento na comunidade teria motivado o ataque, ainda de acordo Fontes. O delegado-geral também comentou que o planejamento de todo o crime teria começado em novembro, e que Guilherme era o líder do ataque. Este, por sua vez, postou diversas fotos em sua conta no Facebook com uma arma minutos antes do crime.

Fonte: R7

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui