Previdência de Rio Preto: o benefício que atraiu a ira da oposição

Sessão na Câmara de Rio Preto, que barrou a CPI contra projeto de previdência Municipal - foto: Erlan Roberto

Dos 11 vereadores municipais de Rio Preto da Eva, 10 votaram a favor do arquivamento da proposta de instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) pedido pelo vereador Marcelo Costa Santos (MDB), que alegou irregularidades e ilegalidade do prefeito Anderson Sousa na instalação do Instituto Municipal de Previdência.

O vereador denunciante é o único contra o projeto da Previdência Social Municipal idealizado pelo prefeito Anderson Souza ano passado. O projeto de lei foi levado à Câmara Municipal de Rio Preto da Eva na sessão do dia 26 de dezembro de 2017 e, desde então, vem tramitando em rito normal para sua aprovação e implantação no município. Preste à sua implantação, no entanto, começou a ‘atrair a ira’ da oposição inconformada com o sucesso do projeto.

Estranhamente, opositores se aproveitaram da disposição de Marcelo Costa em ser contra todas as pautas do executivo na Câmara, para pedir a cassação do mandato do prefeito, além de abrir denuncia na Delegacia da Receita Federal, para que todas as providências sejam tomadas, mesmo sem consistência de provas.

Sessão na Câmara de Rio Preto, que barrou a CPI contra projeto de previdência Municipal – foto: Erlan Roberto

A iniciativa de querer desmerecer um projeto que vai beneficiar os funcionários municipais, facilitando a vida e a tramitação de documentos quando de suas aposentadorias e atendimento no órgão previdenciário, está sendo visto como um ato meramente político partidário, sem fins práticos, a não ser, o de levar um grupo político de oposição para debater administração dois anos antes das eleições municipais.

Liderança

O líder do prefeito na Câmara Municipal de Rio Preto da Eva, vereador Josué Nunes (PTB) diz que a denúncia contra o prefeito Anderson Sousa, é vazia e que não ficou difícil de ser rejeitada. O projeto da previdência, segundo ele, é de interesse municipal e, que lutar contra o projeto é ir de encontro à vontade popular é não aceitar a melhora da economia de Rio Preto da Eva, assim como, querer colocar o cidadão rio-pretense em dificuldades.

“Se a gente não está podendo ajudar a população e o município, então não atrapalha”, disparou Josué Nunes, em relação ao problema que o vereador Marcelo Costa vem criando não só ao prefeito como a todo o município. “O Instituto Municipal de Previdência facilita a vida dos funcionários municipais e isso é um fato que ninguém pode negar”, finaliza.

Para o líder do prefeito na Câmara, O Instituto Municipal de Previdência Social foi idealizado para que as contas do município não fossem inviabilizadas ou espoliadas pelos altos valores cobrados pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), aumentando a dívida municipal com a seguridade social acumulada em administrações anteriores.

Por outro lado, mesmo com as sérias dificuldades enfrentadas com a queda na arrecadação, o prefeito Anderson tem mantido as contas em dias e as obras em andamento. O pagamento de salários e fornecedores estão rigorosamente atualizados.

Ainda assim, o vereador que é forte defensor de um grupo político que tenta volta para a Prefeitura, encontra disposição para tecer fortes críticas à administração municipal que está tirando o município do atoleiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui