Professor ganha Prêmio por usar ‘Realidade Aumentada’ em aulas

Professor usa App que permite uso de realidade aumentada — Foto: Renato Batista da Silva/Arquivo Pessoal

Uma aula de olhares curiosos, atentos e de sorriso aberto para a aprendizagem. O uso de realidade aumentada deu aquele toque a mais nas aulas de geografia. Para o 6º ano da Escola Municipal Victor Sence, em Conceição de Macabu, no Norte Fluminense.

Pela ação pedagógica diferenciada, o professor Renato Batista da Conceição, de 30 anos, foi um dos contemplados pelo Prêmio Paulo Freire. O prêmio foi entregue pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), na última quinta-feira (14).

Professor Renato com os seus alunos — Foto: Arquivo pessoal

Renato sempre estudou em escola pública e foi criado por avós analfabetos na periferia de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. Para ele, que sempre ouviu os conselhos da avó, a premiação teve um sentido bem especial.

“Não posso deixar de dedicar primeiramente este prêmio a minha avó/mãe Marizete Barbosa, que sempre me incentivou a estudar e lutar por dias melhores na vida. Também dedico este reconhecimento aos meus dois filhos, Maria Luiza Conceição e Luiz Miguel Conceição, por serem razão e força para continuar, bem como as pessoas da minha família e amigos, que sempre me incentivaram a superar os obstáculos nesta caminhada. Sou ciente de que esse prêmio não é só meu, mas de todos os professores e professoras fluminenses, que lutam e resistem em sala de aula todos os dias para ensinarem e somarem na transformação social brasileira”, agradece Renato.

Ao todo, 86 iniciativas inovadoras foram premiadas na 1ª Edição do Prêmio Paulo Freire, que foi dividido em nove categorias.

“É algo que me deixa extremamente feliz e realizado. Eu, inclusive, que aprendi a ler e escrever nessa chamada escola pública que, mesmo com muitas dificuldades, sempre busca contribuir com a educação dos alunos”, afirma Renato, que ganhou na categoria “Experiência Pedagógica no Ensino Fundamental”.

A tecnologia

Renato Batista da Conceição — Foto: Marcelo Dias Fotografia

Para os alunos do professor Renato a experiência mágica nas aulas de geografia tem sido possibilitada pelo aplicativo Merge Cube. Um recurso tecnológico que expande o aprendizado para além das telas dos smartphones e tablets. É a realidade aumentada ao alcance dos estudantes.

“Trata-se de uma tecnologia que substitui uma página ou tela onde os alunos consomem conteúdo, por ser mais interessante e aumentar o engajamento dos estudantes. Na atividade que realizei com meus alunos, eles puderam observar o sistema solar na palma das mãos. Com seus próprios Smartphones, um Cubo Mágico feito de papel e um aplicativo gratuito de realidade aumentada, os alunos, encantados, conseguiram visualizar e aprender mais informações sobre o Sistema Solar e a Dinâmica da Terra”, explica Renato.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui