Projeto Desenvolvido em creche estimula a pesquisa científica em crianças

Foto: Divulgação/ Semed

A creche municipal Magdalena Arce Daou, localizada no bairro de Santa Luzia, zona Sul, desenvolve desde 2018 o projeto “Pesquisadores de Berço”, que tem como objetivo trabalhar conceitos de iniciação científica de forma lúdica com crianças de 2 a 3 anos. Executado pela professora Maria Raquel Santos, a ação já atendeu a mais de 80 alunos da Prefeitura de Manaus.

“Sempre percebi que as crianças gostam muito de questionar e tinham perguntas que eu não sabia responder, então eu pesquisava. E eu percebi também que, independentemente da fase, as dúvidas eram recorrentes. Com isso, eu desenvolvi um projeto a partir da ótica das crianças”, contou Raquel.

Assim, surgiu a ideia de explorar os conteúdos de ciências de forma mais experimental, onde as crianças pudessem vivenciar as próprias dúvidas e aprender sobre ciências de uma forma lúdica, com ações de análise, comparações, levantamento de hipóteses e conclusões.

Foto: Divulgação/ Semed

Para o desenvolvimento dessas atividades, são utilizados recursos pedagógicos desenvolvidos a partir de sucata, recursos naturais como folhas, galhos e pequenos animais encontrados no entorno da instituição.

Algumas das atividades desenvolvidas no projeto, a partir desses materiais reutilizados, são as caixas de luz, que convidam a criança para interagir com os materiais, além de quebra-cabeça, que trabalha com a motricidade e o cognitivo, com brincadeiras através da luz e da sombra.

A gestora da unidade, Lucienne Costa, apontou que a atividade desenvolvida na unidade estimula a curiosidade infantil e dinamiza o ensino de forma inovadora, pois as crianças aprendem por meio de estratégias lúdicas com os múltiplos sentidos.

Foto: Divulgação/ Semed

“A professora é pesquisadora e o encantamento que ela traz para as crianças é diferente. Quando a escola percebeu que ela encantava, apoiamos no sentido de fomentar estratégias e materiais. Um diferencial da turma dela é que as crianças não faltam. Sempre que possível tentamos divulgar as atividades que ela desenvolve”, completou.

Essa divulgação realizada pela escola alcançou os pais, que começaram a conhecer mais do projeto, além do que era apresentado em casa. A professora de educação física, Renata Souza, mãe da aluna Helena Souza, admira a metodologia utilizada pela professora, porque acredita que desenvolve o interesse das crianças pela pesquisa, por meio da curiosidade de conhecer coisas novas.

“Mesmo com poucos recursos, ela estimula constantemente. Diferencial muito grande em relação aos outros. Desde que começou a participar do projeto, milha filha ficou mais curiosa, desenvolveu um pensamento crítico. O que ela faz na escola tenta fazer em casa e eu acho bem interessante”, comentou Renata.

Foto: Divulgação/ Semed

Planos Futuros

A professora Maria Raquel aponta que, a partir de agora, o projeto se desmembrará em outros microprojetos, sempre com o objetivo de buscar, desenvolver a curiosidade das crianças e trabalhar questões psicomotoras e cognitivas. “Eu já tenho o desdobramento para o projeto, que vai iniciar no próximo mês, que é sobre compostagem. Desse projeto vão sair diversos braços”.

Além disso, ela tem planos que esse projeto chegue a outras creches da rede municipal, porque, a partir dele, podem-se trabalhar diversos eixos com as crianças como a linguagem, cognitiva, comportamental.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui