Recurso arrecadado com a prática de SUP, é doado ao projeto Doutores da Enfermagem

Projeto “Doutores da Enfermagem”/Foto: Divulgação

O dinheiro arrecadado com a prática de stand up paddle (SUP) no Flutuante Abaré, neste domingo (09), será doado ao projeto “Doutores da Enfermagem”. O projeto, que já existe há um ano, é executado por estudantes e professores do curso de Enfermagem da Faculdade Estácio, que realizam visitas semanais a hospitais e instituições filantrópicas de Manaus, trajando jaleco, com nariz de palhaço e pinturas faciais, levando música e brincadeira às crianças.

O SUP é um esporte aquático, que consiste em remar em pé sob uma prancha, com auxílio de um remo. O serviço será oferecido a partir das 9h e custará R$ 30 a hora. O flutuante Abaré fica localizado na rua do Missionários, S/N, bairro Tarumã.

De acordo com o professor do curso de Enfermagem da Faculdade e responsável pelo projeto, Marcos Vinicius Costa Fernandes, este ano 21 estudantes estão envolvidos nas atividades do grupo. Através de brincadeiras lúdicas, música e a estimulação da imaginação e criatividade dos pequenos, o grupo de voluntários contribui para tornar o ambiente de internação mais leve e menos traumático. “O objetivo principal de tudo isso é contribuir para a recuperação das crianças”, frisou.

O professor ressalta que as visitas ajudam a diminuir o medo e a inseguranças das crianças no período de internação. “Por meio das brincadeiras, é possível explicar de forma diferente como vai ser o procedimento médico pelo qual a criança vai passar”, disse.

Projeto “Doutores da Enfermagem”/Foto: Divulgação

Ele destaca, ainda, que os relatos dos médicos e das famílias dos pacientes é que, após as visitas, as crianças sentem-se muito mais motivadas para enfrentar a nova realidade. “Nossa missão é levar esperança para que elas saibam que a doença representa apenas uma fase da vida e que depois poderão voltar a frequentar a escola e brincar com os amigos”, afirmou.

Contribuição profissional – Segundo o professor, além do trabalho social, essa atividade também ajuda os acadêmicos a vivenciarem o próprio futuro, no ambiente de trabalho. “A empatia é uma característica essencial para o profissional da área da saúde. Portanto, além da técnica que os alunos aprendem na sala de aula, é preciso mostrar a eles a importância do apoio ao próximo”, declarou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui