Rede 5G começa a funcionar no Brasil; entenda o que muda com a nova rede

Foto: Reprodução

A rede 5G “pura” estreia no Brasil nesta quarta-feira (6), em Brasília, com a promessa de ser até cem vezes mais rápida que a rede atual, a 4G.

Em nota, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) afirmou que o uso da faixa de radiofrequências será de 3.300 MHz a 3.700 MHz.

As próximas capitais brasileiras a receberem o sinal são Belo Horizonte, Porto Alegre, São Paulo e João Pessoa — ainda sem data definida.

A previsão inicial era de que o 5G estaria disponível em todas as capitais até o dia 31 de julho.

O prazo, no entanto, foi estendido até o dia 29 de setembro por conta da dificuldade de aplicação da rede, motivada pela impossibilidade de entrega dos equipamentos devido às restrições provocadas pela pandemia de covid-19 na China, que atrasaram a produção de semicondutores, além da demora na liberação dos produtos e de limitações no transporte aéreo.

A mitigação interferências nas estações satelitais também foi levada em conta.

Segundo Moisés Moreira, vice-presidente da Anatel, o lançamento da rede 5G em Brasília servirá como teste, com a Anatel e as operadoras instalando filtros anti-interferência.

Também está prevista a distribuição de decodificadores da Banda Ku à população de baixa renda que usa antenas parabólicas antigas que operam na Banda C.

Nas cidades com mais de 500 mil habitantes, o 5G deve chegar até julho do ano que vem. A expectativa é que a nova tecnologia esteja disponível em todos os municípios brasileiros até 2028.

Mas, para se tornar uma realidade, é preciso investimento em infraestrutura — como a adequação de postes, dutos e mais antenas. Outro requisito é a reorganização das frequências de ondas utilizadas no 5G.

Confira abaixo uma seleção de perguntas e respostas sobre a rede 5G no Brasil:

O que é preciso para acessar o 5G?

Para acessar a rede 5G, é preciso ter um celular que seja compatível com a tecnologia — como os smartphones da Apple (AAPL; AAPL34), o iPhone SE e também os da linhas 12 e 13.

Outros celulares que são compatíveis com o 5G são o Galaxy S22, o Galaxy Note 20 5G, da Samsung, o Motorola Edge, o Xiaomi Redmi Note 11 pro 5G e o Zenfone 7.

Para saber se o seu smartphone é compatível com a tecnologia, basta olhar se, na ficha técnica do aparelho, estão os termos “5G SA” ou “Sub-6”. E não é possível atualizar um aparelho sem compatibilidade com a rede.

A conta do celular vai aumentar?

A resposta é não — pelo menos não por enquanto.

O 5G estará disponível em toda Brasília?

Também não. Segundo a Anatel, a nova rede estará disponível em 80% de Brasília.

Quais operadoras são compatíveis com o 5G?

São compatíveis com o 5G as operadoras Claro, Vivo e Tim. Mas vale lembrar que, mesmo se a operadora do seu dispositivo permitir a rede, de nada adiantará se ele não for compatível com a tecnologia.

Quem são os responsáveis pelo 5G no Brasil?

Os termos de concessão pública da rede foram assinados em 7 de dezembro de 2021. Ao todo, 10 empresas arremataram os direitos de uso da tecnologia durante o leilão.

No leilão do 5G, foram arrecadados R$ 47,2 bilhões. Segundo o ministério das Comunicações, do valor total, R$ 42 bilhões serão revertidos em investimentos para ampliar a conectividade em todo o país.

Foram vencedoras do leilão: Algar Telecom, Brisanet, Cloud2U, Consórcio 5G Sul, Sercomtel, Flylink, Neko, Claro, Vivo, Tim e Winity II Telecom Ltda, ligada ao Fundo Pátria.

As operadoras Claro, Vivo e TIM arremataram três lotes na faixa de 3,5 GHz, as principais do leilão.

Quanto custa a tecnologia 5G para o país?

O valor do custo não é exato, mas, segundo o Portal da Indústria, a média mundial é de R$ 100 a R$ 150 mensais em pacotes “que podem ser ilimitados a depender da oferta de lançamento pelas operadoras”.

“Por processar bits mais rapidamente, o custo da tecnologia 5G pode não ser tão alto para o consumidor final, mas há um ponto que pode aumentar esse custo: a necessidade de ter um equipamento compatível com a tecnologia”, diz o portal.

Em que países o 5G está disponível?

A rede 5G está disponível em 34 países como: Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Suécia, Suíça, Finlândia, Japão, China, Taiwan, Arábia Saudita, Coreia do Sul, Kuwait, Austrália, Noruega e Alemanha.

A Coreia do Sul foi o primeiro país a lançar o 5G comercialmente, em abril de 2019.

Qual a diferença entre o 4G e o 5G?

Enquanto a rede média do 4G tem uma velocidade média de 19,8 Mbps (megabits por segundo), com uma conexão que pode chegar perto dos 100 Mbps, a do 5G pode ter de um a 10 Gbps (gigabits por segundo), sendo 100 vezes mais rápido que o 4G.

Isso significa que as redes 4G e 3G vão desaparecer?

Não. Assim como quando o 4G foi implementado, a rede 3G não desapareceu.

Siga o Money Times no LinkedIn!
Fique bem informado, poste e interaja com o MoneyTimes no LinkedIn. Além de ficar por dentro das principais notícias, você tem conteúdo exclusivo sobre carreira, participa de enquetes, entende sobre o mercado e como estar à frente no seu trabalho. Mas não é só isso: você abre novas conexões e encontra pessoas que são uma boa adição ao seu network. Não importa sua profissão, siga o Money Times no Linkedin!

Money Times

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui