Seap inicia o projeto Trabalhando a Liberdade

Foto: Divulgação/Seap

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) iniciou, nesta semana, uma frente de trabalho do projeto “Trabalhando a Liberdade” para revitalização da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (DERFV), localizada na rua Adelaide Carraro, 256, bairro Planalto, zona centro-oeste de Manaus.

Quatro reeducandos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), administrado pela empresa cogestora Reviver Administração Prisional Privada, estão trabalhando nos serviços de roçagem do terreno, pintura das paredes externas e demolição de uma construção abandonada ao lado da delegacia, a qual tem servido para o uso de lixeira viciada.

O delegado Cícero Túlio, titular da delegacia, disse que teve conhecimento dessas atuações que a Seap vêm realizando com os apenados nas reformas das unidades policiais e aprovou a iniciativa. “Essas ações são de grande valia tanto para as polícias civis e militares quanto para a sociedade em geral. A gente espera que a Seap, na pessoa do coronel Marcus Vinícius, possa dar continuidade a esses trabalhos, para que outras unidades policiais possam ser agraciadas pela mão de obra carcerária”, considerou.

Foto: Divulgação/Seap

Ao todo, existem 109 internos no Compaj fazendo parte do projeto de ressocialização “Trabalhando a Liberdade”. O que, para o diretor da unidade, Lucas Maceda, é só o início. Pois a meta é aumentar significativamente esse número.

Um dos internos participantes, de 44 anos, fala do benefício dos cursos e do trabalho. “Muitas vezes um interno trancado em uma cela sem nenhum tipo de atividade só pensa besteiras. Agora, com esses projetos da Seap, é uma coisa muito boa, pois além de nos profissionalizarmos, ainda temos a oportunidade de sair para trabalhar e mostrar para a sociedade que muitos ali dentro têm jeito, sim”.

Foto: Divulgação/Seap

Frentes de trabalho – Além da revitalização na DERFV, há outras duas frentes de trabalho acontecendo pelas mãos dos internos do Compaj, no Comando Geral da Polícia Militar e na Defensoria Pública do Estado (DPE), que fica no Centro da cidade.

Os apenados trabalham pela remição da pena por meio do trabalho não remunerado, em conformidade com a Lei de Execução Penal (LEP), que prevê a redução de um dia da pena a cada três dias trabalhados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui