Superstições e boatos rondam status de celebridade de Eike Batista

Veja a galeria completa

Eike e o X da multiplicação
Arte R7

Um dos empresários mais famosos do Brasil, Eike Batista está calado desde que a credibilidade de suas empresas foi colocada em xeque — quando suas previsões de faturamento se provaram ilusórias e as ações passaram a valer centavos. Porém, mesmo concentrado no salvamento de seus negócios, sua vida empresarial e pessoal continua despertando interesses e fofocas.

Com uma agressiva estratégia de marketing, Eike sempre se preocupou em divulgar retratos de sua riqueza, de sua vida extravagante e, de certo modo, de seu misticismo. Mas essa postura, marca de sua trajetória empresarial, permitiu que se espalhassem boatos e mentiras relacionados a seu nome.

O empresário, assim, acabou trilhando o caminho das celebridades. No livro Ascensão e Queda do Império X, o jornalista Sergio Leo revela como seus negócios são afetados também por aspectos de sua vida privada.

“Você não consegue entender o que aconteceu com as empresas X só apelando para o lado racional. A gente costuma imaginar que um cara bem sucedido é um cara que pesa, mede cada passo, investimento. [Mas] às vezes ele é guiado por alguma intuição, mania, uma superstição”, disse Leo ao R7.

Segundo uma das tantas histórias que rondam sua personalidade, Eike só assinaria contratos perto de fontes d’água. A mesma “superstição” já havia sido relatada pela modelo Nicole Bahls, ex-namorada de Thor Batista, filho do empresário, durante o reality show A Fazenda, da Rede Record.

Mas tudo não passa de um boato. O ex-bilionário não assina contratos perto de fontes de água, confirmou ao R7 a assessoria de imprensa da EBX.

Para esses documentos, ele teria outra crença: exigiria que seus contratos terminassem em “63”.

A mania, dessa vez, é verdadeira. O empresário gosta tanto da dezena que batizou uma lancha esportiva com o número. Foi com esse barco, aliás, que faturou o título em um tornei de lanchas luxuosas no início dos anos 1990.

Conheça as manias e excentricidades do empresário Eike Batista

Eike Batista é um empresário “funk ostentação”, diz autor de livro

Visibilidade

Se funcionam ou não, impossível saber. Mas essas manias acabam dando mais visibilidade a seus negócios e a seu verdadeiro talento: atrair investidores e fazer dinheiro.

O X de suas empresas, por exemplo, já é bem mais conhecido. Tratado abertamente pelo empresário mineiro, ele batizou todas as suas companhias com o X, pois a letra é o símbolo da multiplicação.

Antes mesmo de criar a EBX e faturar seu primeiro bilhão, Eike seguiu as recomendações de uma astróloga e viajou a Cusco, no Peru, para “realinhar” a vida e buscar inspiração para os negócios. O R7 apurou que o magnata não se consulta com cartomantes ou videntes. O que ele gosta mesmo é de astrologia.

Do Peru, Eike trouxe os símbolos da civilização inca que adornariam sua casa, escritórios e mesa de trabalho. Foi quando o sol inca passou a simbolizar as suas empresas, assumido como logotipo.

Em maio de 2013, Eike chegou a alterar o logo da EBX após nova recomendação de um astrólogo. Ele mudou a inclinação dos raios do sol porque, segundo seu astrólogo, as chamas estavam viradas para trás e seriam causa de prejuízos.

Crise tem fim?

Apesar do misticismo, o brasileiro e suas empresas continuam mergulhados em crise e dívidas.

Recentemente, a “menina dos olhos” do grupo, a petroleira Óleo e Gás Participações (ex-OGX) abandonou a valiosa sede do Edifício Serrador, no Centro do Rio, e decidiu leiloar de xícaras a utensílios de escritório. O certame foi suspenso, pois estava sem autorização da Justiça. A dívida atual da empresa é calculada em R$ 13,3 bilhões.

Antes acessível, o empresário hoje “fechou a boca”: qualquer tentativa de entrevista se torna uma frustração. 

Sem o marketing e aparições de outros tempos, uma pergunta ainda permanece: será que Eike conseguirá se reerguer?

Para o jornalista Sergio Leo, que mergulhou na vida do brasileiro por quatro meses, não há resposta.

— Isso é um grande mistério. Ele já mostrou outras vezes que foi capaz de cair e se levantar e fingir que nada tinha acontecido. Mas nunca ele tinha levado um tombo tão grande.

Não será por falta de crenças, superstições e fé que Eike não alcançará seus objetivos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui