Agência Fluvial de Boca do Acre completa 80 anos

Foto: Abud Mamed

A Agência Fluvial de Boca do Acre foi criada pelo Decreto n° 6.530 de 20 de novembro de 19040, e ativada em 1° de janeiro do ano seguinte. Inicialmente, ostentava o nome de Agência da Capitania dos Estados do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima em Boca do Acre. Por forçada portaria n° 276 de 19 de setembro de 1997, do comandante da Marinha, apresenta-se com a atual denominação, comemorando seu 80° aniversário.

Tendo a origem de seu nome inspirada na confluência dos rios Acre e Purus, essa importante e estratégica Organização Militar do SSTA assumiu por vocação natural a calha de grande parte do rio Purus e toda a calha do rio Acre, além de seus afluentes, que em tempos áureos era o caminho único para o escoamento das riquezas produzidas ou destinadas à região do Amazonas e Acre.

Foto: Abud Mamed

Nesse contexto, a Agência Fluvial de Boca do Acre tem a nobre missão e responsabilidade de garantir a segurança da navegação; A salvaguarda da vida humana e a prevenção da poluição hídrica nos 18 municípios que compõem a sua jurisdição, dentre os quais, 14 pertencentes ao Estado do Acre e 4 ao Estado do Amazonas, abrangendo assim um perímetro de 250.994 km2 com 4.598 milhas náuticas navegáveis nas calhas dos rios Acre, Purus, Iaco e Abunã.

Com a queda na extração do látex da borracha, nos seringais vizinhos à cidade de Boca do Acre, já no final do seu segundo ciclo, somando-se à abertura de rodovias federais e estaduais, além da natural evolução e democratização dos transportes aéreos, viram -se com o tempo, a diminuição da navegação e movimentação de embarcações, principalmente no rio Acre e seus afluentes. Com a diminuição desse fluxo, muito se questionou sobre a real importância de se manter a Agência Fluvial de Boca do Acre nos dias de hoje e a sua relevância para a sociedade bocacrense e acreana.

Foto: Abud Mamed

Porém, contrariando as expectativas favoráveis à sua desativação e transferência para a capital Rio Branco, está pequena parcela da Capitania Fluvial de Boca do Acre, apenas ampliou seu leque de atuação, utilizando nos dias de hoje a via terrestre, fluvial e aérea, para realizar suas atribuições, durante todo o ano, independente do regime de chuvas e da régua dos rios.

Dentre as atividades desenvolvidas, destacam-se as atividades de Agênci itinerante realizada por viatura, inspeção naval e presença da Marinha na cidade de Santa Rosa do Purus, esta última, conseguido por meio de um esforço aéreo conjunto com o Exército Brasileiro e FAB, além diuturna presença da Agência nas inspeções no quadro. Importante destacar a tarefa voltada para a formação dos Aquaviarios na região, trazendo para a população ribeirinha os conhecimentos do Ensino Profissional Marítimo, a oportunidade de emprego e renda para a população local e a adequação dos utilizadores dos rios e usuários de embarcações à Lei de Segurança do Tráfego Aquaviario.

Fonte: Abud Mamed – Resgate Histórico e Cultural de Boca do Acre

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui